Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 11 Abril |
Santo Estanislau de Cracóvia
home iconAtualidade
line break icon

Emissário da ONU negocia em Damasco cessar-fogo em Alepo

<p>Mediador da ONU, De Mistura, em 10 de novembro de 2014</p>

AFP - publicado em 01/03/15

O mediador da ONU para Síria, Staffan De Mistura, que chegou a Damasco neste sábado para negociar um cessar-fogo em Alepo (norte), conseguiu o envio de uma delegação ao local para avaliar a situação.

"De Mistura reuniu-se com Walid Mouallem, ministro das Relações Exteriores, e conseguiu um acordo para enviar uma delegação a Alepo", afirmou a agência oficial Sana, sem informar uma data.

No que se refere aos combates, as forças de segurança do regime sírio, apoiadas pelo Hezbollah libanês, avançaram neste sábado no sul do país, enquanto no norte os jihadistas do Frente al Nosra se apoderaram de uma base importante.

"De Mistura deseja começar a aplicar seu projeto o mais rápido possível", disse à AFP um de seus conselheiros.

Em meados de fevereiro, De Mistura afirmou que o regime sírio está disposto a suspender os ataques aéreos e os disparos de artilharia contra Alepo durante seis semanas para permitir um cessar-fogo localizado.

"A suspensão começará a partir de uma data que será anunciada em Damasco", afirmou.

Ao mesmo tempo, em Kilis, localidade turca na fronteira com a Síria, "políticos e militares da oposição e membros da sociedade civil de Alepo se reuniram para anunciar sua posição sobre a iniciativa", declarou à AFP um funcionário da assessoria de imprensa da Coalizão da oposição.

"O líder da Coalizão, Jaled Hoja, estará presente na reunião, que vai até domingo. Fará o anúncio da implementação de um comitê de acompanhamento que permanecerá em contato com Mistura sobre este tema", acrescentou.

De Mistura já havia pedido a Damasco que facilitasse o envio ao local de uma missão da ONU encarregada de escolher um distrito de Alepo como teste para um cessar-fogo.

Segundo o vice-ministro das Relações Exteriores sírio Faisal Moqdad, citado pelo jornal Al Watan, De Mistura propôs suspender as hostilidades em dois barrios de Alepo, Saladino e Seif al Dawla. O governo sírio quer começar por Saladino.

Uma parte desses dois bairros, situados no sudeste da antiga capital econômica, é controlada pelas forças do regime e a outra parte por rebeldes desde julho de 2012.

Em um encontro na quarta-feira com parlamentares franceses, o presidente sírio Bashar al Assad teria declarado seu apoio à iniciativa de Mistura a cessar-fogos locais.

– Forças do regime sírio avançam no sul –

As forças do regime sírio apoiadas pelo Hezbollah progrediram neste sábado no sul da Síria, enquanto no norte os jihadistas do Frente al Nosra se apoderaram de uma base importante.

Desde a sexta-feira à noite, a cerca de 50 km ao sudeste de Damasco, o exército enfrenta grupos rebeldes e jihadistas do Frente al Nosra, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O exército conta com a ajuda do Hezbollah, de conselheiros dos guardiões da revolução iraniana e milicias xiitas iraquianas, acrescenta.

"As forças pró-regime avançaram e se apoderaram de três povoados e de várias colinas na província de Deraa, com o apoio da aviação síria", informou o OSDH.

O objetivo é chegar até de armistício com Israel nas Colinas de Golã e obstruir a rodovia para os rebeldes e para a Frente al Nosra, braço sírio da Al-Qaeda, que tentam avançar do sul para Damasco. Para isso, o exército sírio e o Hezbollah avançam do leste para oeste.

A agência oficial síria SANA confirmou a tomada das colinas, consideradas estratégicas. Segundo os moradores, a ofensiva surpreendeu os rebeldes, e muitos deles morreram ou fugiram.

Os rebeldes do Al Nosra, que controlam parte do território ao longo da fronteira jordaniana, avançaram nas províncias do sul, de grande importância por sua proximidade com Damasco, Jordânia e Golã ocupado por Israel.

No sul, os rebeldes e o Al Nosra combatem juntos, mas no norte a atuação é separada.

Perto de Alepo, o Al Nosra expulsou os rebeldes sírios da base militar 46, após combates que resultaram em 29 mortos nas fileiras do grupo rebelde sírio Hazem e seis nas dos jihadistas, de acordo com o OSDH.

O Hazem é considerado um grupo rebelde "moderado" pelos países ocidentais em comparação com os jihadistas ultra-radicais.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia