Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 11 Abril |
Santo Estanislau de Cracóvia
home iconAtualidade
line break icon

Ofensiva com 30 mil iraquianos tenta tomar Tikrit dos jihadistas

<p>(28 fev) Voluntários xiitas que apoiam as forças do governo iraquiano no combate ao Estado Islâmico fazem disparos de canhão perto de Tikrit</p>

AFP - publicado em 03/03/15

Cerca de 30 mil soldados iraquianos e milicianos atacaram posições jihadistas em Tikrit e seus arredores, ao norte de Bagdá, nesta segunda-feira, na maior ofensiva lançada até agora para recuperar um dos principais redutos do Estado Islâmico (EI).

Nesses últimos meses, o Exército iraquiano e as milícias aliadas do governo têm avançado para o norte, registrando algumas vitórias. Em Tikrit, porém, foram repelidos algumas vezes.

De acordo com um coronel do Exército iraquiano, que conversou por telefone com a AFP, o combate desta segunda de manhã é "o maior" lançado desde a tomada de amplas faixas do território por parte do EI.

"Caça-bombardeiros, helicópteros e artilharia se dirigem para Tikrit para assegurar o avanço (das forças pró-governamentais) e cortar as vias de abastecimento", relatou, acrescentando que "as forças de segurança avançam em três direções: Tikrit, Ad Dawe (sul) e Al Alam (norte)".

Fontes militares reportaram que aviões iraquianos participam da operação, mas que a ofensiva não conta com reforço aéreo da coalizão internacional antijihadista liderada pelos Estados Unidos.

"Não estamos realizando ataques aéreos em apoio à operação perto de Tikrit", disse à imprensa o porta-voz do Departamento de Defesa americano, coronel Steven Warren.

Warren negou-se a dizer se aviões de reconhecimento americanos estão ajudando na operação com informações de inteligência. Já uma fonte anônima da Defesa americana confidenciou à AFP que aviões americanos forneceram dados de Inteligência e reconhecimento.

Segundo o coronel iraquiano, as forças do governo "também avançam por vias secundárias com o objetivo de impedir uma fuga do Daesh (acrônimo do EI em árabe)". Há nove meses, o grupo controla a cidade natal do ditador iraquiano executado Saddam Hussein.

O EI havia se apoderado dessa cidade em junho, aproveitando-se de um ataque no norte e no oeste do país, onde o grupo extremista sunita impõe sua lei e multiplica as atrocidades, como nos territórios controlados na vizinha Síria.

Batalha estratégica

O comandante militar para a província de Saladino, Abdel Wahab Saadi, destacou a importância ao mesmo tempo estratégica e simbólica dessa batalha. Trata-se de uma das mais ambiciosas operações militares lançadas por Bagdá para fazer os jihadistas recuarem e começou na madrugada desta segunda-feira.

"O objetivo é, certamente, terminar de libertar a província para permitir o retorno dos deslocados", disse à AFP o comandante Wahab Saadi.

"Mas também é um trampolim para a libertação de Mossul", a segunda cidade mais importante do país e capital iraquiana do EI, 350 km ao norte de Bagdá.

De acordo com o coronel iraquiano, as forças envolvidas na batalha de Tikrit estão integradas por Exército, polícia, unidades antiterroristas, grupos de voluntários pró-governo – as chamadas Unidades de Mobilização Popular – e tribos locais sunitas hostis ao EI.

Segundo veículos de comunicação iranianos e iraquianos, também está na província de Saladino, onde fica Tikrit, o comandante da Força Qods, o general iraniano Ghassem Suleimani. Esta é uma unidade de elite do Exército iraniano, que colabora na coordenação das operações.

A operação foi anunciada no domingo pelo primeiro-ministro iraquiano, Haider al-Abadi, que pediu às forças pró-governo que poupem a população civil.

"A prioridade que estabelecemos para o Exército e para as forças que vão ajudar é preservar a segurança dos cidadãos", frisou Al-Abadi.

Vingança

O comandante das Unidades de Mobilização Popular e figura central da luta no Iraque contra o EI, Hadi al-Ameri, havia pedido à população de Tikrit que abandonasse a cidade em 48 horas, para vingar Speicher.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia