Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 22 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Elton John lidera boicote contra a Dolce & Gabanna porque a grife defendeu a família tradicional

Stefano Gabbana and Domenico Dolce 2014 – pt

AP

John Burger - publicado em 18/03/15

O cantor declara que os "valores da família" são voláteis como a moda

Os estilistas que fundaram a empresa de moda italiana Dolce & Gabbana estão sendo atacados porque se pronunciaram em defesa dos valores tradicionais da família. O cantor pop britânico Elton John, que é gay, está liderando um boicote aos produtos da marca.

Embora Domenico Dolce e Stefano Gabbana tenham mantido uma relação homossexual estável durante 23 anos, eles deram uma entrevista ao semanário italiano “Panorama” em que se manifestaram contra a adoção de crianças por parceiros do mesmo sexo, afirmando que as crianças precisam ser criadas por uma mãe e por um pai.

“Nós nos opomos à adoção gay. A única família é a tradicional”, disseram.

A procriação "deve ser um ato de amor", declarou Dolce: "Você nasce de uma mãe e de um pai. Ou pelo menos é assim que deveria ser… Eu chamo os filhos da química de ‘crianças sintéticas’. Útero alugado, sêmen escolhido num catálogo…".

Gabbana completou: "A família não é uma moda passageira. Ela envolve um sentido sobrenatural de pertença".

Elton John, que tem dois filhos concebidos através de fertilização in vitro, se ofendeu e comparou os pontos de vista dos estilistas à volatilidade das modas.

"Como vocês se atrevem a se referir aos meus filhos lindos como ‘sintéticos’?”, indagou ele, via redes sociais."E que vergonha que vocês apontem seus dedinhos julgadores contra a fertilização in vitro, um milagre que permitiu que legiões de pessoas amorosas, tanto hetero quanto homossexuais, realizassem o sonho de ter filhos".

O cantor britânico, que "se casou" em dezembro passado com David Furnish, seu parceiro civil de longa data, acrescentou: "Seu pensamento arcaico está fora de sintonia com os tempos, assim como a sua moda. Eu nunca mais vou vestir Dolce & Gabbana".

Gabbana respondeu online: "É simplesmente arrogante não tolerar quem não pensa como ele! Coitado! Vivemos em um país democrático e respeitamos as ideias dos outros".

Aparentemente, porém, muita gente do mundo do entretenimento ficou do lado de Elton John. O também cantor Ricky Martin, que tem dois filhos gêmeos, tuitou: "Suas vozes são poderosas demais para espalhar tanto ódio. Acordem, é 2015". E Courtney Love, também no Twitter, postou: "Acabo de juntar todas as minhas peças Dolce & Gabbana, quero queimá-las (…) Boicote ao fanatismo sem sentido!".

O jornal inglês “The Telegraph” jogou um pouco mais de lenha na fogueira: “Apesar das opiniões sobre as crianças ‘sintéticas’, Gabbana revelou, em 2006, que ele mesmo tinha pedido a uma amiga para ser a mãe de aluguel do seu filho”.

O estilista, na época, havia dito a um jornal italiano: “Quero meu próprio filho, um filho biológico, gerado por inseminação artificial”. A amiga em questão, que era 12 anos mais jovem que ele, tinha achado que “era uma grande ideia”. Os comentários foram feitos no ano seguinte à separação de Dolce, quando Gabbana estava em um novo relacionamento.

Mas o milionário declarou que não queria que o filho tivesse dois pais gays: “Eu sou contra a ideia de uma criança crescer com dois pais gays. A criança precisa de uma mãe e de um pai. Eu não poderia imaginar a minha infância sem a minha mãe. E também acredito que é cruel tirar um bebê da mãe dele”.

Os dois estilistas emitiram uma declaração neste domingo esclarecendo que os seus comentários não tinham a intenção de julgar as escolhas feitas por outros. “Nunca foi nossa intenção julgar as escolhas das outras pessoas. Nós acreditamos na liberdade e no amor”.

Tags:
FamíliaFilhoshomossexuais
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia