Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 14 Abril |
São Telmo
home iconAtualidade
line break icon

Negociação nuclear com Irã está bloqueada em três pontos-chave

<p>As negociações sobre o programa nuclear iraniano em Lausanne, na Suíça, seguiam bloqueadas em pontos-chave, um dia antes do fim do prazo estabelecido para a conclusão de um acordo político, enquanto os diplomatas se esforçavam para avançar</p>

AFP - publicado em 31/03/15

As negociações sobre o programa nuclear iraniano em Lausanne, na Suíça, seguiam bloqueadas em pontos-chave, um dia antes do fim do prazo estabelecido para a conclusão de um acordo político, enquanto os diplomatas se esforçavam para avançar.

Pela primeira vez desde a rodada de negociações em Viena, em novembro, todos os chefes da diplomacia das grandes potências do grupo 5+1 (Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia, China e Alemanha) e do Irã se reuniram na mesma mesa nesta segunda-feira de manhã.

A reunião durou um pouco mais de uma hora e meia e uma segunda plenária esta prevista para o início da tarde.

As negociações buscam chegar a um acordo antes de terça-feira para que o Irã garanta a natureza civil de seu programa nuclear em troca da suspensão das sanções internacionais que asfixiam sua economia.

Mas três pontos chaves continuam a bloquear uma possível solução, segundo indicou um diplomata ocidental após a primeira plenária.

O primeiro ponto diz respeito à duração do acordo em negociação. As grandes potências desejam um quadro estrito de controle das atividade nucleares iranianas por ao menos 15 anos, mas o Irã não quer se comprometer além de 10 anos, segundo este texto.

A questão da retirada das sanções da ONU continua a ser um dos maiores pontos de bloqueio. Os iranianos querem a retirada de todas as sanções econômicas e diplomáticas, consideradas humilhantes, assim que o acordo seja assinado. Mas as grandes potências desejam uma retirada gradual dessas medidas ligadas à proliferação nuclear e adotadas a partir de 2006 pelo Conselho de Segurança da ONU.

Em caso de retirada de algumas dessas sanções, certos países do 5+1 querem um outro mecanismo que permitiria reimpor rapidamente as punições em caso de descumprimento por Teerã de seus compromissos, segundo a fonte diplomática.

"Não pode haver acordo se não for encontrada uma resposta a estas questões", acrescentou o diplomata, que pediu anonimato.

"Sim ou não"

Ao final da reunião, o chefe da diplomacia russa, Sergueï Lavrov, declarou que deixaria Lausanne ainda nesta segunda-feira, em razão de compromissos em Moscou.

"Ele retornará em caso de uma chance realista de um acordo amanhã" (terça-feira), declarou uma porta-voz, Maria Zakharova.

Nenhuma autoridade arriscava prever nesta segunda que rumo irá tomar as negociações.

Um fracasso até terça-feira não significaria automaticamente a ruptura e o fim de todas as negociações, ressaltam os protagonistas.

Mas todos concordam em dizer que a situação será muito mais complicada e difícil em razão dos conflitos internos nos Estados Unidos e no Irã, onde os opositores a um acordo sairão fortalecidos em caso de fracasso das discussões em Lausanne.

"Em determinado momento é preciso dizer sim ou não", resumiu a fonte ocidental.

"Estamos em uma situação histórica", todos os chefes da diplomacia dos países envolvidos nas negociações estão presentes, argumentou essa fonte. "Sentimos que este é o momento de agir".

Uma opinião não compartilhada pelo primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que voltou nesta segunda-feira a atacar qualquer acordo com o Irã.

"Os países moderados e responsáveis na região, especialmente Israel e muitos outros Estados, são os primeiros a sofrer as consequências deste acordo", lançou. Ele também considerou que os negociadores em Lausanne fazem "vista grossa" sobre o apoio prestado pelo Irã aos rebeldes xiitas no Iêmen, combatidos por uma coalizão liderada pela Arábia Saudita.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
PRINCE PHILIP
Cerith Gardiner
11 fatos interessantes sobre o falecido príncipe Philip
2
MIGRANT
Jesús V. Picón
O menino perdido no deserto nos convida a refletir
3
DIVINE MERCY
Reportagem local
Como obter indulgência plenária no Domingo da Divina Misericórdia...
4
LOVE AND MERCY FILM
Aleteia Brasil
O filme sobre Santa Faustina e a Divina Misericórdia já está disp...
5
Pe. Gabriel Vila Verde
Reportagem local
Ditadores proibiram missas ao longo da história, recorda pe. Gabr...
6
Jim Caviezel
J-P Mauro
Jim Caviezel fez o que pode ser considerado um dos maiores discur...
7
Aleteia Brasil
Havia um santo a bordo do Titanic?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia