Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 22 Outubro |
Santos Filipe e Hermes
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Eleição de ex-general golpista marca 1ª transição democrática na Nigéria

<p>Muhammadu Buhari, presidente eleito da Nigéria, em Abuja, no dia 1º de abril de 2015</p>

AFP - publicado em 02/04/15

O ex-general golpista Muhammadu Buhari venceu com grande margem a eleição presidencial da Nigéria, ao derrotar o atual presidente, Goodluck Jonathan, na primeira alternância democrática na agitada história política do país desde sua independência.

"Nosso país se uniu à comunidade de nações que substituem o presidente por meio de uma eleição livre e honesta", declarou Buhari em seu primeiro discurso depois de ser eleito.

"Para mim, isso é algo realmente histórico", completou o general, que recebeu 53,95% dos votos.

Buhari afirmou nesta quarta-feira que o grupo islâmico Boko Haram será atacado até a derrota, depois de seis anos de influência crescente da organização no nordeste do território.

"Eu asseguro que o Boko Haram em breve perceberá a força da nossa vontade coletiva e do nosso compromisso para livrar essa nação do terror e trazer a paz de volta", completou.

"Não vamos poupar esforços até derrotar o terrorismo", prometeu o presidente recém-eleito.

Candidato da coalizão opositora APC (Congresso Progressista), Buhari derrotou o atual presidente Goodluck Jonathan, candidato do Partido Democrático Popular (PDP), que recebeu 44,96% dos votos, segundo a Comissão Eleitoral Independente.

Os resultados das eleições legislativas, realizadas juntas, ainda não foram divulgados. Segundo o calendário oficial, Buhari deve tomar posse em 29 de maio.

O PDP estava no poder desde 1999, ano da restauração da democracia na Nigéria, após um longo período de ditaduras militares. Desde a independência do país, em 1960, a Nigéria registrou seis golpes miliares.

Após comandar uma junta militar entre 1983 e 1985, Buhari, de 72 anos, um muçulmano do norte da Nigéria, garantiu durante a campanha eleitoral que se converteu à democracia. Esta foi a quarta candidatura presidencial de Buhari desde 2003.

Na terceira tentativa, em 2011, ele foi derrotado por Goodluck Jonathan, um cristão do sul da Nigéria.

"Prometi eleições livres e justas. Cumpri minha palavra", afirmou Jonathan, alegando que "nenhuma ambição pessoal justifica o derramamento de sangue dos nigerianos".

Em 2011, os incidentes posteriores à vitória de Jonathan deixaram quase mil mortos.

Buhari elogiou a generosidade do atual presidente, que ligou para reconhecer a derrota.

"Deixem-me dizer claramente: o presidente Jonathan não tem nada a temer de mim. Ele é um grande nigeriano e ainda é nosso presidente", declarou.

"A democracia e o Estado de direito serão estabelecidos no país. Deixemos o passado para trás, especialmente o passado recente. Devemos esquecer nossas velhas batalhas e os conflitos para seguir adiante", completou.

Ele lembrou ainda que a corrupção, um dos grandes flagelos da Nigéria, "não terá mais lugar".

Comunidade internacional elogia

Milhares de nigerianos celebraram nas ruas de Kano, a maior cidade do norte muçulmano, a vitória de Buhari. Nesse estado, ele recebeu mais de dois milhões de votos, contra 200 mil do adversário.

A comunidade internacional felicitou o vencedor.

O presidente da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini-Zuma, disse que o resultado mostra a maturidade da democracia, não apenas na Nigéria, mas também no conjunto do continente africano.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, felicitou o presidente eleito e classificou sua vitória como "uma prova da maturidade da democracia na Nigéria".

União Europeia, França e Grã-Bretanha (antiga potência colonial) parabenizaram o vencedor. Londres destacou especialmente a importância de uma "transição pacífica".

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, também elogiou o vitorioso e o país africano por ter "respeitado os princípios democráticos".

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Reportagem local
A bela lição que este menino deu a todos ao se aproximar do Papa
3
Casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos
Francisco Vêneto
Jovem casal brasileiro com 8 filhos espera gêmeos: “cada um vale ...
4
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
5
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
6
São José
Francisco Vêneto
Padre irmão de piloto de avião partido em dois: “São José tem mui...
7
morning
Philip Kosloski
Uma oração da manhã fácil de memorizar
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia