Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Julho |
Santos Abdon e Sénen
home iconAtualidade
line break icon

Cruz Vermelha considera catastrófica situação no Iêmen

<p>Habitantes de Áden correm em direção a um depósito de armamentos, em razão de possível avanço de paramilitares xiitas da etnia huthi, no dia 25 de março de 2015</p>

AFP - publicado em 08/04/15

A situação humanitária em Áden, principal cidade do sul do Iêmen, é "catastrófica", alertou a Cruz Vermelha, que confirmou nesta terça-feira a chegada ao país de um primeiro avião com funcionários da área de saúde.

Os combates prosseguem no país, principalmente no sul, entre os rebeldes xiitas, vinculados ao Irã, e as forças leais ao presidente Abd Rabbo Mansur Hadi, apoiadas pela Arábia Saudita.

"A situação humanitária no Iêmen é crítica com as rotas navais, aéreas e terrestres cortadas", afirmou a porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha no Iêmen, Marie Claire Feghali.

Ela recordou que o país importa 90% dos alimentos.

Em Áden a situação é "no mínimo catastrófica", disse, antes de completar: "A guerra em Áden está em cada rua, em cada esquina. Muitos não podem fugir".

A Cruz Vermelha fez um apelo a uma trégua imediata para poder entregar ajuda e confirmou que na segunda-feira um primeiro avião com ajuda pousou em Sanaa.

O avião aterrissou no aeroporto de Sanaa com médicos a bordo, informou outro porta-voz do CICV, Sitara Jabeen.

A Cruz Vermelha espera que um avião pouse na quarta-feira em Sanaa com 16 toneladas de remédios carregados na Jordânia, explicou à AFP o porta-voz do Comitê Internacional da Cruz Vermelha no Iêmen, Marie Claire Feghali, e uma segunda carga de 32 toneladas poderia chegar na quinta-feira.

A ajuda é aguardada com impaciência no país, onde "a situação é crítica", segundo a porta-voz da Cruz Vermelha.

Pelo menos 540 pessoas morreram e 1.700 ficaram feridas em combates no Iêmen desde 19 de março, anunciou em Genebra a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O balanço vai até 6 de abril, afirmou o porta-voz Christian Lindmeier.

O porta-voz do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), Christophe Boulierac, afirmou que pelo menos 74 crianças faleceram e 44 ficaram feridas desde 26 de março, quando começou a ofensiva da coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita para conter o avanço dos rebeldes xiitas no país.

Mas a organização considera que o número de crianças mortas é muito mais elevado.

O Unicef calcula que um milhão de crianças estão impedidas de frequentar a escola no Iêmen em consequência da violência.

Desde domingo, os combates no Iêmen, especialmente no sul, deixaram 159 mortos, 63 apenas em Áden, segundo um balanço da AFP com base em diversas fontes.

Os xiitas enfrentam os partidários do presidente Abd Rabbo Mansur Hadi, exilado na Arábia Saudita. O Iêmen é cenário de bombardeios diários da aviação da coalizão árabe que apoia Hadi.

Países do Golfo pedem reforço de sanções da ONU

Os países do Golfo propuseram na noite desta terça ao Conselho de Segurança da ONU um projeto de resolução que impõe sanções ao chefe da milícia huthi e ao filho do ex-presidente iemenita Alí Abdullah Saleh.

O projeto prevê ainda um embargo de armas e exige o abandono do poder e o fim imediato das hostilidades, de forma incondicional, por parte da milícia huthi e de seus aliados.

O texto traz uma lista de pessoas que devem ser sancionadas por seu papel na atual crise no Iêmen, encabeçada por Abdel Malek al-Huthi, líder das milícias xiitas, e por Ahmed Alí Abdullah Saleh, filho mais velho do ex-presidente iemenita.

As sanções individuais consistem no congelamento de bens e na proibição de viagens.

Dois comandantes huthis e o próprio ex-presidente Alí Abdullah Saleh já foram sancionados pela ONU.

Bloqueados em Áden

Os 800.000 habitantes de Áden estão bloqueados pelos combates e não têm condições sequer de fugir, segundo a Cruz Vermelha.

"Os corpos ficam abandonados nas rua e ninguém se atreve a retirá-los. A situação é ainda pior nos hospitais", lamentou Feghali.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
2
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
3
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
4
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
5
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
morning
Philip Kosloski
Uma oração da manhã fácil de memorizar
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia