Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

Obama apoia retirada de Cuba da lista de patrocinadores do terrorismo

<p>O presidente americano Barack Obama (D) e o presidente cubano Raúl Castro se cumprimentam durante a Cúpula das Américas, no Panamá, no dia 11 de abril de 2015</p>

AFP - publicado em 15/04/15

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manifestou nesta terça-feira seu apoio à retirada de Cuba da lista do Departamento de Estado americano dos países que apoiam o terrorismo, um passo importante para o restabelecimento das relações bilaterais.

Obama enviou ao Congresso um texto onde ressalta a sua "intenção de retirar" Cuba dessa lista, um dos obstáculos para o avanço do processo de reconciliação diplomática.

Em uma breve carta de apenas quatro parágrafos, Obama afirmou ao Congresso que poderia provar que "o governo de Cuba não proporcionou apoio ao terrorismo internacional nos últimos seis meses".

Além disso, o presidente indico na carta que "o governo de Cuba deu garantias de que não vai apoiar atos de terrorismo internacional no futuro."

Em um comunicado oficial, a Casa Branca informou que a legislação determina que o presidente deve informar o Congresso sobre o caso 45 dias antes de qualquer decisão entrar em vigor.

Nesse período, o Congresso, dominado pelos opositores republicanos de Obama, pode bloquear medidas por uma resolução bicameral.

Em seu comunicado oficial, a Casa Branca indicou que "após análise cuidadosa" da permanência de Cuba nessa lista, "o Departamento de Estado concluiu que Cuba reúne as condições para que seja retirada" da lista de Estados patrocinadores do terrorismo.

"O Departamento de Estado recomendou que o presidente submetesse ao Congresso o relatório e a certificação exigida por lei", diz a nota.

Por sua vez, o secretário de Estado, John Kerry, declarou em outra nota que "é hora de retirar a designação de Cuba como um Estado patrocinador do terrorismo".

De acordo com Kerry, "as circunstâncias mudaram desde 1982, quando Cuba foi originalmente designada como Estado patrocinador do terrorismo (…). O nosso continente e o mundo estão muito diferentes hoje".

Os cubanos receberam a notícia com satisfação, embora o governo de Havana ainda não tivesse comentado a notícia.

"Depois de tantos anos incluídos nesta maldita lista, o fato de Obama nos tirar é um grande avanço no entendimento e também um grande feito de Cuba", declarou à AFP Natalia Díaz, de 53 anos, em Havana.

"Esta decisão de Obama dá a nós, cubanos, a medida de que há seriedade nos passos que estão sendo dados e isto, claro, que enche a gente de esperanças", acrescentou.

As reações em Washington foram imediatas.

O presidente da Câmara de Representantes, o opositor republicano John Boehner, considerou que tirar Cuba da lista era como "ficar amigo dos nossos inimigos ao invés de ajudar nossos aliados".

"Apressado", avaliou Ed Royce, republicano titular da Comissão de Relações Exteriores da Câmara baixa, sobre processo de aproximação entre Cuba e os Estados Unidos, anunciado em dezembro.

Do lado democrata, a representante Nancy Pelosi, líder da bancada governista, saudou a iniciativa de Obama e afirmou que a presença de Cuba nesta lista "não serve mais aos nossos interesses".

Ao contrário, o senador democrata de origem cubana, Bob Menéndez, queixou-se, dizendo que não havia "nenhuma explicação, nenhuma justificativa" para retirar Cuba da lista.

A inclusão de Cuba nesta relação de países prevê uma série de sanções contra a ilha, tais como uma restrição a qualquer ajuda dos Estados Unidos, mesmo através de organismos internacionais, o comércio de armas e acesso aos mercados financeiros internacionais.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia