Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 26 Novembro |
São Silvestre Guzzolini
home iconAtualidade
line break icon

Milhares de famílias fugiram dos combates na iraquiana Ramadi

<p>Prédio atingido por um morteiro em um distrito da cidade de Ramadi</p>

AFP - publicado em 17/04/15

Milhares de famílias fugiram de Ramadi, capital da província iraquiana de Al-Anbar (oeste), onde as forças do governo lançaram uma ofensiva para retomar a cidade do grupo Estado Islâmico (EI), afirmou a ONU nesta sexta-feira.

Segundo um comunicado do escritório para assuntos humanitários das Nações Unidas (Ocha), 4.250 famílias deixaram suas casas em Ramadi desde 8 de abril.

Neste dia, o primeiro-ministro Haidar al-Abadi havia anunciado que "a próxima batalha seria a de libertação total" de Al-Anbar, província árida atravessada pelo rio Eufrates e que se estende do governadoria de Bagdá a leste até as fronteiras síria, saudita e jordaniana.

As tropas iraquianas apoiadas por forças paramilitares retomou recentemente das mão do EI grande parte da província de Salaheddin (ao norte), incluindo sua capital Tikrit em 31 de março.

Os combates se concentram agora em torno de Ramadi, uma cidade que fica a poucas centenas de quilômetros a oeste de Bagdá, e na região de Garma, a leste. Ramadi permanece em grande parte nas mãos do EI, que também controla toda a cidade de Fallujah, no caminho para a capital.

As forças do governo, que controlava apenas pequenos bairros no centro da cidade de Ramadi e algumas áreas vizinhas, lançou o ataque antes de perder mais terreno contra o ataque feroz dos jihadistas.

O Ocha informou que 9.000 pessoas tiveram de fugir do bairro de Albu Faraj e se refugiar no centro da cidade de Ramadi, "em escolas e mesquitas, ou partiram para Bagdá."

De acordo com o ministério do Interior iraquiano, 1.800 famílias deslocadas da província de Al-Anbar se estabeleceram em Bagdá.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) estima que 2,7 milhões de pessoas foram deslocadas no Iraque.

Grande parte dos deslocados são da província de Al-Anbar.

Especialistas estimam irrealistas a tentativa das forças do governo iraquiano, em processo de reestruturação, de retomar Al-Anbar, onde os jihadistas estão bem estabelecidos.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
MARYJA
Philip Kosloski
A melhor oração mariana para quando você prec...
Papa Francisco com máscara contra covid
Reportagem local
As 3 “covids” do Papa Francisco
WEB2-COMMUNION-EUCHARISTIE-HOSTIE-GODONG-DE354465C-e1605635059906.jpg
Reportagem local
Internado na UTI, Pe. Márlon Múcio continua c...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Confissão não é para contar problemas, mas para contar pecados
Pe. Gabriel Vila Verde
Confissão não é para contar problemas, mas pa...
RED WEDNESDAY
Reportagem local
Perseguição aos cristãos no mundo é denunciad...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia