Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 02 Agosto |
home iconAtualidade
line break icon

Como o WhatsApp pode influenciar a relação de um casal?

© DR

LaFamilia.info - publicado em 03/05/15

Na verdade, o problema não está nos aplicativos, celulares ou redes sociais, e sim no mau uso que podemos fazer deles

O WhatsApp, um sistema de mensagens instantâneas, está impondo um novo jeito de interagir entre as pessoas: agora preferem escrever ao invés de falar. O aplicativo também se tornou inclusive o método preferido para comunicar-se com o cônjuge. Mas será que isso influencia o casamento? Em que sentido?

“É mais barato, rápido e fácil, pois você pode se comunicar o tempo todo”: isso é o que pensa um número cada vez maior de pessoas no mundo inteiro, graças ao uso estendido dos smartphones, os quais, sem dúvida, estão marcando uma mudança significativa, liderada pelos aplicativos de chats.

“Há 20 anos, você esperava que alguém ligasse ao seu telefone residencial. Há 10 anos, esperava que ligassem para você ou lhe enviassem um SMS ao celular. Há 5 anos, esperava um e-mail ou mensagem no Messenger. Hoje, você espera uma mensagem no WhatsApp”, relata Jaime Hoyos no site LaInformación.com.

Mas como tudo tem seus prós e contras, esta não será uma exceção. Analisaremos as vantagens e desvantagens dessa mudança desatada pela tecnologia.

Vantagens

Os avanços tecnológicos têm seu mérito e despertam admiração. Neste caso, estamos falando de um sistema que ultrapassa fronteiras. Sem pagar nem um centavo, oferece a possibilidade de conversar, em tempo real, com pessoas que podem estar a poucos metros ou do outro lado do mundo.

No caso de relacionamentos próximos, como, por exemplo, o conjugal, o chat se tornou o canal de comunicação favorito de muitos casais, pois pode facilitar a interação enquanto ambos os cônjuges estão no trabalho ou ocupados em suas tarefas do dia a dia.

Segundo Mireia Fernández, pesquisadora da Universitat Oberta de Catalunya e especialista nas implicações sociais da telefonia móvel, “os casais usam os celulares – seja via SMS ou WhatsApp – para trocar mensagens de carinho, para organizar o dia e tomar decisões menores, como, por exemplo, comprar algo para a casa.

Os aplicativos mais avançados permitem enviar fotografias na hora e inclusive mensagens de voz, o que faz deles o meio ideal para que os casais estejam em contato constante, sem necessidade de falar na frente dos outros, preservando, assim, sua intimidade. Além disso, como são gratuitos, podem ser usados continuamente.

Mas, como toda nova tecnologia, o WhatsApp precisa ser bem operado para evitar sobressaltos, pois as particularidades desse canal podem causar relacionamentos mais frios, ansiedade e, paradoxalmente, falta de comunicação entre os casais.

Desvantagens

Uma das questões que podem se tornar foco de conflito é o fato de que o WhatsApp e outros sistemas de comunicação instantânea são exatamente isso, “instantâneos”, o que implica que o usuário precisa estar disponível o tempo todo e precisa responder rapidamente às mensagens que lhe são enviadas.

“Não importa se você está no trabalho, praticando um esporte ou em um funeral. Não importa sequer se sua mensagem será visualizada na hora. A resposta precisa ser instantânea. Se você permite que esta dinâmica se instale em sua relação de casal, a polêmica está feita”, opina o jornalista Jaime Hoyos.

Em algumas pessoas, isso pode causar ansiedade e, em certos casos, desconfiança e dúvidas. “Por que não me responde?”, “O que ele(a) estará fazendo?”. O psicólogo Pablo Viudes explica que “a pessoa precisa saber administrar sua conectividade. Do contrário, o WhatsApp pode vulnerar a privacidade. A disponibilidade das pessoas é a base da sua autoafirmação. Se você não pode responder, simplesmente não pode”.

Os especialistas aconselham dialogar com o cônjuge quando haja situações que possam causar mal-entendidos e, assim, evitar conflitos.

  • 1
  • 2
Tags:
Casamento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
3
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
4
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
5
Philip Kosloski
Mesmo com ouro e glória, Michael Phelps foi ao fundo do poço – ma...
6
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
7
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia