Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Soldados da coalizão árabe enviados pela primeira vez ao sul do Iêmen

<p>Fumaça é vista em Taez, no dia 3 de maio de 2015. Um número limitado de soldados da coalizão liderada pela Arábia Saudita foi enviado neste domingo à cidade de Áden, sul do Iêmen, pela primeira vez desde o início da campanha militar</p>

AFP - publicado em 04/05/15

Um número limitado de soldados da coalizão liderada pela Arábia Saudita foi enviado neste domingo à cidade de Áden, sul do Iêmen, pela primeira vez desde o início da campanha militar para apoiar as forças que lutam contra os rebeldes xiitas huthis, segundo fontes locais.

Um jornalista da AFP viu vários homens com uniformes militares nas imediações do aeroporto.

"Uma força limitada da coalizão chegou a Áden", afirmou à AFP uma fonte, que pediu anonimato.

Mais soldados devem chegar à cidade, de acordo com o funcionário.

Mas em Riad, o porta-voz saudita da coalizão, o general de brigada Ahmed al Asiri, negou uma grande ofensiva terrestre.

"Posso garantir que não aconteceu nenhum desembarque no domingo em Áden, afirmou.

Até o momento, a coalizão árabe que atua no Iêmen havia se limitado a executar apenas bombardeios aéreos.

Um dos líderes da "resistência popular", grupo de forças que combatem os rebeldes huthis, confirmou a presença de elementos militares da coalizão na cidade.

"Uma força limitada da coalizão chegou a Áden para nos ajudar a enfrentar os huthis e os soldados soldados leais ao (presidente Ali Abdallah) Saleh", disse à AFP.

Segundo esta fonte, os soldados devem apoiar os combatentes locais da "resistência popular" que cercam os insurgentes entrincheirados no aeroporto internacional da cidade, onde voltaram a acontecer combates nas últimas horas.

Este local estratégico mudou de mãos em diversas ocasiões desde a chegada dos rebeldes a Áden em 26 de março, no mesmo dia em que começaram os bombardeios aéreos da coalizão e que o presidente iemenita, Abd Rabo Mansur Hadi, fugiu do país para encontrar refúgio na Arábia Saudita.

O canal Al-Jazeera exibiu imagens de um grupo de soldados armados a caminho do bairro de Khor Maksar, perto do aeroporto, e um cinegrafista da AFP também constatou a presença de soldados, visivelmente irritados por estar sendo filmados.

Segundo outras fontes da "resistência popular", os soldados enviados pela coalizão seriam apenas algumas dezenas de militares de origem iemenita pertencentes às Forças Armadas da Arábia Saudita ou dos Emirados Árabes Unidos.

Ao ser questionado, o general Asiri respondeu que "revelar detalhes não é do interesse da segurança dos que realizam as operações".

Denunciado uso de bombas de fragmentação

Violentos combates foram registrados nas proximidades do aeroporto, indicaram vizinhos, e aviões da coalizão bombardearam o aeroporto e imediações, segundo uma autoridade.

O Egito, por sua vez, anunciou que prolongaria o mandato de seus efetivos militares com esta coalizão árabe.

A Arábia Saudita é objeto de críticas pela campanha aérea no Iêmen, que já dura cinco semanas, e tem como objetivo restabelecer o governo legítimo de Hadi no Iêmen e expulsar os rebeldes xiitas huthis, apoiados pelo Irã xiita, que conquistaram importantes territórios, incluindo a capital Sanaa, desde setembro de 2014.

Mas o número de vítimas civis do conflito no Iêmen não para de aumentar – mais de 1.200 desde meados de março, segundo a ONU – e a situação humanitária é catastrófica.

Neste domingo, a ONG Human Rights Watch (HRW) acusou a coalizão de ter utilizado bombas de fragmentação fornecidas pelos Estados Unidos nos bombardeios aéreos contra os rebeldes xiitas no Iêmen, um tipo de armamento proibido por tratados internacionais não firmados or Arábia Saudita, Estados Unidos e Iêmen.

Em Washington, um representante do Ministério da Defesa explicou, em e-mail enviado à AFP, que "os Estados Unidos fornecem armas de fragmentação que respeitam a estrita condição de explodir quase completamente". Segundo este funcionário, menos de 1% destas armas é suscetível de não explodir.

Também no domingo, o rei do Marrocos, Mohamed VI, visitou a Arábia Saudita, onde se reuniu com o rei Salman para discutir temas da atualidade regional e internacional. Seu país integra a coalizão árabe, uma força da qual também fazem parte tropas de Egito, Sudão e outras monarquias do Golfo.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia