Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Arábia Saudita anuncia cessar-fogo no Iêmen

<p>(Abril) Bombardeio da coalizão liderada pela Arábia Saudita contra rebeldes huthi na cidade iemenita de Sanaa</p>

AFP - publicado em 09/05/15

A Arábia Saudita anunciou nesta sexta-feira um cessar-fogo de cinco dias que entrará em vigor em 12 de maio no Iêmen, poucas horas após bombardear o principal reduto dos rebeldes xiitas huthis em resposta a um ataque contra uma zona próxima a sua fronteira.

"Decidimos que o cessar-fogo no Iêmen iniciará na terça-feira, 12 de maio, às 23H00 locais (15H00 de Brasília) e durará cinco dias, podendo ser renovável se respeitado", declarou o ministro das Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir em coletiva de imprensa conjunta com o secretário de Estado americano, John Kerry, ao fim de um encontro, em Paris, entre ele e representantes de monarquias do Golfo.

Al Jubeir afirmou que o cessar-fogo só entrará em vigor se os rebeldes huthis e seus aliados se comprometerem a respeitá-lo.

"Depende totalmente dos huthis e seus aliados. O cessar-fogo será interrompido se não for respeitado o acordo", declarou o ministro na capital francesa, ao final de uma reunião entre os Estados Unidos e as monarquias do Golfo.

"Trata-se claramente de um momento importante", avaliou Kerry, explicando haver sinais de que os huthis estão dispostos a aceitar o cessar-fogo.

Apesar do anúncio, a coalizão liderada por Riad atacou o bastião xiita de Saada, onde bombardeou centros de controle e comunicação e uma fábrica de minas, na noite de quinta-feira.

Riad lidera há seis semanas uma coalizão árabe que realiza bombardeios aéreos para apoiar o presidente no exílio Abd Rabo Mansur Hadi e impedir os huthis de tomar o controle de todo o país.

A coalizão pretende restaurar no poder o presidente Abd Rabo Mansur Hadi, refugiado em Riad.

A guerra no Iêmen já deixou mais de 1.400 mortos e cerca de 6.000 feridos, a maioria civis.

No Irã, rival xiita do reino sunita saudita e que apoia os rebeldes iemenitas, milhares de pessoas manifestaram nesta sexta-feira para denunciar os ataques da coalizão, aos gritos de "Morte à família (real) saudita".

Após seis semanas de guerra, a situação no Iêmen é vista como "catastrófica" por ONGs e a ONU. Um porta-voz das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou nesta sexta que se as restrições às importações forem mantidas, "causarão mais mortes do que as balas e bombas nos próximos meses".

Para o Unicef, se o combustível e os alimentos continuarem a escassear, a desnutrição aguda ameaçará diretamente mais de 120 mil crianças nos próximos três meses, além dos 160 mil menores que já sofrem deste tipo de desnutrição.

Famílias em fuga

Segundo a agência saudita SPA, os bombardeios da coalizão se dirigiram na quinta-feira contra dois centros de controle, um centro de comunicação, uma fábrica de minas e outras posições dos rebeldes na província de Sada, na fronteira com a Arábia Saudita.

Nos últimos dias, os rebeldes xiitas huthis realizaram bombardeios contra o sul do território saudita, matando dez civis. Até a data só haviam direcionado seus ataques contra militares.

A Arábia Saudita avisou na quinta-feira que os huthis, apoiados pelo Irã, haviam cruzado uma linha vermelha.

"A equação mudou, o conflito mudou e vão pagar caro", ameaçou o porta-voz da coalizão, o general Ahmed al-Assiri, ante a imprensa, indicando que Sada estava entre os alvos da coalizão.

Riad acusou reiteradamente o Irã de fornecer armas e fundos aos huthis, algo que Teerã negou novamente nesta sexta-feira, quando uma porta-voz do ministério das Relações Exteriores iraniano denunciou "esforços para culpar os outros".

Testemunhas em Sada afirmaram que os aviões da coalizão lançaram panfletos convocando os moradores a deixar a província e um correspondente da AFP na capital iemenita, Sanaa, informou que muitas famílias haviam começado a chegar nesta sexta-feira.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia