Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

70 membros da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano são ganhadores do Prêmio Nobel

Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano
Compartilhar

Será mesmo que a Igreja é contra a ciência?

Desde o ano de 1902, nada menos que 70 Prêmios Nobel foram entregues a membros da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano.

Os acadêmios são escolhidos com base em seus eminentes estudos científicos originais e na sua reconhecida personalidade moral, sem discriminação étnica ou religiosa, e são nomeados ainda em vida mediante ato soberano do Santo Padre como mostra do reconhecimento vaticano ao seu trabalho científico em prol do progresso da humanidade. A maioria dos acadêmicos foi selecionada para a Pontifícia Academia de Ciências ainda antes de ganhar o Prêmio Nobel.

Em 2011, pela primeira vez na história, o então papa Bento XVI nomeou como presidente da Academia um cientista não católico: o suíço Werner Aber, cristão protestante reformado, professor emérito de Microbiologia na Universidade de Basileia e premiado com o Nobel de Medicina por suas pesquisas no campo da genética. Ele estudou em particular o mecanismo de defesa da célula bacteriana contra os vírus e sua obra está ligada à descoberta das enzimas de restrição, que podem ser empregadas no estudo da organização genética.

Aliás, o mesmo Bento XVI, como se aprecia na imagem acima, recebeu e abençoou no Vaticano o físico Stephen Hawking, que é declaradamente ateu, mas não inimigo da religião e muito menos fechado ao instigante debate entre ciência e fé. O célebre cientista participou da plenária da Pontifícia Academia de Ciências sobre a origem do universo, a evolução da vida, Darwin e a teoria do desígnio inteligente (ou seja, a tese de que o universo foi criado de acordo com um planejamento inteligente e não como fruto do mero acaso; a este respeito, recomendamos este interessantíssimo artigo sobre o Ajuste Preciso do Universo). O título do congresso do qual Hawking participou no Vaticano foi "Abordagens científicas sobre a evolução do universo e da vida".

LISTA DE PRÊMIOS NOBEL MEMBROS DA PONTIFÍCIA ACADEMIA DE CIÊNCIAS DO VATICANO

A lista oficial de membros da Pontifícia Academia de Ciências que já ganharam o Prêmio Nobel pode ser consultada no site da Academia. Nós a reproduzimos abaixo:

Pieter Zeeman (Física, 1902)

Lord Ernest Rutherford de Nelson (Química, 1908)

Guglielmo Marconi (Física, 1909)

Alexis Carrel (Fisiologia, 1912)

Max von Laue (Física, 1914)

Max Planck (Física, 1918)

Niels Bohr (Física, 1922)

Sir Chandrasekhara Venkata Raman (Física, 1930)

Werner Heisenberg (Física, 1932)

Charles Scott Sherrington (Fisiologia ou Medicina, 1932)

Paul Dirac e Erwin Schrödinger (Física, 1933)

Thomas Hunt Morgan (Fisiologia ou Medicina, 1933)

Sir James Chadwick (Física, 1935)

Peter J.W. Debye (Química, 1936)

Victor Francis Hess (Física, 1936)

Corneille Jean François Heymans (Fisiologia ou Medicina, 1938)

Leopold Ruzicka (Química, 1939)

Edward Adelbert Doisy (Fisiologia ou Medicina, 1943)

George Charles de Hevesy (Química, 1943)

Otto Hahn (Química, 1944)

Sir Alexander Fleming (Fisiologia, 1945)

Artturi Ilmari Virtanen (Química, 1945)

Sir Edward Victor Appleton (Física, 1947)

Bernardo Alberto Houssay (Fisiologia ou Medicina, 1947)

Arne Wilhelm Kaurin Tiselius (Química, 1948)

Walter Rudolf Hess (Fisiologia ou Medicina, 1949)

Hideki Yukawa (Física, 1949)

Sir Cyril Norman Hinshelwood (Química, 1956)

Chen Ning Yang e Tsung-Dao Lee (Física, 1957)

Joshua Lederberg (Fisiologia, 1958)

Severo Ochoa (Fisiologia ou Medicina, 1959)

Rudolf Mössbauer (Física, 1961)

Max F. Perutz (Química, 1962)

Sir John Carew Eccles (Fisiologia, 1963)

Feodor Lynen (Fisiologia ou Medicina, 1964)

Charles H. Townes (Física, 1964)

Manfred Eigen e George Porter (Química, 1967)

Har Gobind Khorana e Marshall W. Nirenberg (Fisiologia, 1968)

Luis Federico Leloir (Química, 1970)

Gerhard Herzberg (Química, 1971)

Christian Boehmer Anfinsen (Química, 1972)

Christian de Duve (Fisiologia, 1974)

George Emil Palade (Fisiologia, 1974)

Martin Ryle (Física, 1974)

David Baltimore (Fisiologia, 1975)

Vladimir Prelog (Química, 1975)

Aage Bohr (Física, 1975)

Werner Arber (Fisiologia ou Medicina, 1978)

Abdus Salam (Física, 1979)

Paul Berg (Química, 1980)

Kenichi Fukui (Química, 1981)

Kai Siegbahn (Física, 1981)

Roger Wolcott Sperry (Fisiologia ou Medicina, 1981)

Sune Bergstrom (Fisiologia, 1982)

Carlo Rubbia (Física, 1984)

Klaus von Klitzing (Física, 1985)

Rita Levi-Montalcini (Fisiologia, 1986)

John C. Polanyi (Química, 1986)

Yuan Tseh Lee (Química, 1986)

Jean-Marie Lehn (Química, 1987)

Joseph E. Murray (Fisiologia, 1990)

Gary S. Becker (Economia, 1992)

Paul J. Crutzen e Mario J. Molina (Química, 1995)

Claude Cohen-Tannoudji e William D. Phillips (Física, 1997)

Ahmed H. Zewail (Química, 1999)

Günter Blobel (Fisiologia, 1999)

Ryoji Noyori (Química, 2001)

Aaron Ciechanover (Química, 2004)

Theodor Hänsch (Física, 2005)

Gerhard Ertl (Química, 2007)

Tags:
Ciência