Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconAtualidade
line break icon

Ajuda humanitária chega ao Iêmen, apesar de violação da trégua

<p>Rebeldes xiitas huthis são vistos em Sanaa, no dia 4 de fevereiro de 2015</p>

AFP - publicado em 14/05/15

A ajuda humanitária começou a chegar nesta quarta-feira ao Iêmen, horas depois da entrada em vigor de uma trégua humanitária entre a coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita e os rebeldes xiitas huthis, que segundo os sauditas já violaram o cessar-fogo.

"As milícias huthis violaram a trégua", denunciou a coalizão em um comunicado publicado pela agência de imprensa saudita SPA, que cita 12 infrações do cessar-fogo na fronteira entre Arábia Saudita e Iêmen.

Apesar das violações, a aliança militar confirmou "seu compromisso pleno com a trégua humanitária".

Horas antes, dois barcos fretados pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA), que estavam atracados em Hodeida (sul), começaram a descarregar suas provisões em diferentes províncias do país, anunciou uma fonte portuária à AFP.

O Conselho de Segurança da ONU convocou todos os beligerantes a respeitar a trégua e "permitir a entrada e a entrega das ajudas necessárias para a população civil, incluindo a comida, os medicamentos e o combustível".

Em Sanaa, vários motoristas se dirigiam aos postos de combustível com a esperança de poder encher seus tanques, comprovou um correspondente da AFP.

O rei Salman da Arábia Saudita anunciou ter duplicado a 544 milhões de dólares a ajuda de seu país no Iêmen, onde abriu um centro de auxílio e ações humanitárias. Segundo Riad, o espaço, que leva o nome do monarca, pretende centralizar toda a ajuda para o país.

A população iemenita expressava seu alívio pelo cessar-fogo. "Sanaa viveu uma noite tranquila depois que cessaram as explosões dos mísseis antiaéreos e os bombardeios que assustavam a população", disse Tawfic Abdelwahab, um morador da capital, controlada pelos rebeldes.

A trégua humanitária entrou em vigor na terça-feira às 20h00 GMT (17h00 de Brasília) por iniciativa da Arábia Saudita, que lidera desde 26 de março uma campanha aérea contra os rebeldes que ameaçam tomar o controle do conjunto do Iêmen, fronteiriço com o reino.

Ao menos 1.578 pessoas morreram e 6.504 ficaram feridas desde o início dos bombardeios, segundo um balanço comunicado nesta quarta-feira pela Organização Mundial da Saúde.

A coalizão árabe avisou os rebeldes de que retomará seus bombardeios se eles violarem o cessar-fogo e anunciou que seguirá com suas operações de "inteligência, reconhecimento e vigilância" no Iêmen.

Uma trégua prolongada?

Nesta quarta-feira ao amanhecer os rebeldes lançaram mísseis antiaéreos em Sanaa quando os aviões de reconhecimento da coalizão sobrevoaram brevemente a capital, segundo testemunhas, que acrescentaram que a calma havia retornado à cidade.

De acordo com a coalizão, na localidade de Daleh, no sul, os rebeldes realizaram disparos de artilharia e de foguetes em um combate que prossegue. Em Luder, também no sul, os huthis utilizaram armas pesadas para tentar ganhar terreno.

Vários habitantes e partidários do presidente no exílio, Abd Rabo Mansur Hadi, confirmaram breves confrontos nas províncias de Dhaleh e Taez, e em Mareb e Shabwa, a leste de Sanaa, pouco depois do cessar-fogo.

Durante a tarde foram registrados combates em Taez, onde ocorreram inclusive disparos de tanques, segundo autoridades locais.

As organizações humanitárias já avisaram que precisarão de mais de cinco dias para atender às necessidades de uma população cuja situação é catastrófica, segundo a ONU.

Teerã também tem a intenção de levar ajuda humanitária a um porto do Iêmen, e não a uma plataforma das Nações Unidas no Djibuti, como Washington havia pedido.

O conflito agravou a situação humanitária neste país, onde 12 milhões de pessoas precisam de alimentos, segundo a ONU.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia