Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Barriga de aluguel: casos chocantes e (sur)reais de “clientes” ou “prestadoras” que desistiram do “negócio”

Creative Commons

Aleteia Vaticano - publicado em 15/05/15

De escravidão na Tailândia e na Índia a eugenia, abandono, pedofilia e coisificação de bebês no "Primeiro Mundo"

Surreais: é o que parecem muitos casos recentes envolvendo a prática da "barriga de aluguel". Alguns deles:

– Em 2014, o casal Farnell, da Austrália, contratou uma agência tailandesa de aluguel de barrigas para gestar dois bebês. Pattharamon Janbua, a mãe de aluguel, recebeu 12.000 dólares para gestar as crianças. Descobriu-se, com a gravidez já avançada, que um dos bebês era portador da Síndrome de Down. O casal australiano exigiu então que a agência lhe devolvesse o dinheiro e ainda pediu que Janbua fizesse um aborto, apesar do alto risco que a gestante correria a essa altura da gestação. Janbua não abortou. Quando as crianças nasceram, os Farnell só levaram para a Austrália a menina sadia. A criança com Síndrome de Down foi rejeitada e deixada na Tailândia, onde Janbua e o marido a acolheram. Os gastos médicos decorrentes das complicações enfrentadas pela criança foram bancados com a ajuda de uma campanha internacional de arrecadação de fundos, que levantou 240.000 dólares em donativos. Com a repercussão mundial do escândalo, os Farnell afirmaram a um programa de televisão que nunca quiseram abandonar o bebê e que voltariam à Tailândia para buscá-lo (embora não tivessem manifestado concretamente essa intenção durante os seis meses anteriores). Janbua lhes respondeu que não entregaria o bebê. O caso levou o governo tailandês a propor a proibição legal do aluguel de barriga no país. Quanto ao casal David e Wendy Farnell, descobriu-se após o escândalo que eles tinham se casado por intermédio de uma agência chinesa de casamentos, depois que ele saiu da cadeia onde cumpria pena por pedofilia.

– Em 2011, também na Tailândia, 14 mulheres vietnamitas foram resgatadas do cativeiro em que eram mantidas por outra empresa de aluguel de barrigas, a Baby 101. Elas tinham sido ludibriadas com uma promessa de lucro alto. A Baby 101, no entanto, confiscou seus passaportes e pretendia mantê-las em cárcere privado até que dessem à luz. Uma das reféns conseguiu se comunicar por e-mail com a embaixada do Vietnã na Tailândia e pediu ajuda. A Baby 101, porém, continuou anunciando seus serviços na internet.

– Na Índia, o aluguel de barriga é legal e regulamentado. As agências cobram dos clientes entre 25.000 e 45.000 dólares, mas as gestantes recebem de 6.000 a 8.000 dólares por gravidez bem-sucedida (se perderem o bebê, não ganham nada). É famosa no país, por seus "altos índices de sucesso", a clínica Akanksha, situada no Estado de Gujarat. Esta clínica, no segundo mês de gravidez, separa a gestante da sua família e a mantém num centro próprio, junto com outras 10 a 15 grávidas que compartilham um mesmo quarto. Embora não cumpra os protocolos médicos relativos à implantação dos embriões no útero das gestantes alugadas, a clínica é elogiada no Ocidente por "transformar sonhos de mães em realidade".

– Nos EUA, a humorista Sherri Shepherd esperava "emocionada", em 2014, a chegada de um bebê gestado por uma barriga de aluguel e "desesperadamente desejado". Segundo o jornal Daily Mail, porém, quando faltava pouco para o nascimento, ela passou a "não querer ter mais nada a ver com a criança". É que o seu casamento com o roteirista Lamar Sally tinha terminado e o bebê que ia vir ao mundo, embora tivesse sido um "pedido" e um "desejo" dela, era filho biológico de uma doadora anônima de óvulo e do seu agora ex-marido.

– Também nos EUA, a jovem J.J.E. aceitou ser inseminada com o "material" de um italiano que tinha viajado ao país com sua noiva para "encomendar" um bebê. J.J.E. seria remunerada com 73.000 dólares. Depois do parto, o casal italiano lhe pediu que também amamentasse a criança, embora isto não fizesse parte do

  • 1
  • 2
  • 3
Tags:
FilhosMaternidadePaternidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
Atriz Claudia Rodrigues
Reportagem local
Assessora pede orações por atriz Claudia Rodrigues: “está m...
6
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
7
Orfa Astorga
Até que idade é saudável morar na casa dos pais?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia