Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconAtualidade
line break icon

Professores pedem ao Japão que reconheça responsabilidade por escravas sexuais

AFP - publicado em 26/05/15

Professores universitários do Japão pediram ao governo do primeiro-ministro Shinzo Abe que reconheça a responsabilidade do país na exploração das "mulheres conforto", as milhares de asiáticas obrigadas a se prostituirem nos bordéis do exército imperial nipônico.

Em um comunicado, 16 sociedades universitárias, incluindo a Sociedade de História do Japão, denunciam a "escravidão sexual" que vitimou estas mulheres, em sua maioria coreanas, e pediram ao governo que assuma "honestamente" a responsabilidade.

No início do mês, quase 200 professores universitários, em sua maioria americanos, publicaram uma carta aberta no mesmo sentido, com um pedido para que Tóquio admita os erros do passado colonial e militarista por ocasião do aniversário de 70 anos do fim da Segunda Guerra Mundial.

"Aquelas que se converteram em ‘mulheres conforto’ foram vítimas de uma violência intolerável como escravas sexuais", afirma o comunicado dos professores japoneses.

"Ao continuar adotando uma atitude irresponsável que consiste em negar a existência de escravidão sexual dentro do exército japonês durante a guerra, alguns políticos e uma parte da imprensa estão enviando ao restante do mundo a mensagem de que o Japão não respeita os direitos humanos", lamentam os docentes.

No comunicado, os professores pedem às partes envolvidas que "enfrentem com honestidade as lesões infligidas pelo Japão no passado, assim como às vítimas".

O primeiro-ministro japonês, o conservador Shinzo Abe, repetiu recentemente no Congresso americano os "profundos remorsos" do país por seu passado militarista na Ásia, mas sem pronunciar o pedido de desculpas esperado por chineses e coreanos.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia