Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
home iconAtualidade
line break icon

ONU: Conselho de Segurança defende adiamento de eleições no Burundi

<p>Corpo de Zedi Feruzi, líder da oposição no Burundi assassinado junto com seu guarda-costa</p>

AFP - publicado em 28/05/15

A maioria dos 15 países-membros do Conselho de Segurança da ONU avalia que as eleições previstas para a próxima semana no Burundi devem ser adiadas em razão dos sangrentos confrontos no país – declarou a presidência do órgão nesta quarta-feira.

De acordo com diplomatas, a Rússia manifestou sua discordância, alegando que as eleições são uma questão doméstica.

Durante uma reunião a portas fechadas, os membros do Conselho ouviram o relato do enviado da ONU ao Burundi, Said Djinnit, sobre os confrontos que varrem o país desde que o atual presidente, Pierre Nkurunziza, anunciou que brigaria por um terceiro mandato.

Inicialmente previstas para maio, as eleições legislativas foram adiadas para 5 de junho. Já a disputa presidencial está programada para 26 de junho.

"A opinião que predomina é que as eleições não podem ser organizadas nas circunstâncias atuais", afirmou a presidente do órgão, a embaixadora lituana Raimonda Murmokaite.

A diplomata citou as tensões no país, o crescente descontentamento e o êxodo de refugiados para os vizinhos como sinais de que "as eleições não serão viáveis".

No último fim de semana, o Conselho de Segurança condenou o assassinato do líder de um pequeno partido de oposição, Zedi Feruzi, declarando-se "pronto a responder aos atos violentos, ameaçando a paz e a segurança no Burundi".

O Conselho se encontra dividido sobre as possíveis soluções. A Rússia pede à ONU que ajude o Burundi a resolver a crise sozinho.

Cerca de 30 pessoas morreram nas manifestações que aconteceram há um mês nesse país francófono do leste da África.

Uma tentativa de golpe de Estado orquestrada por soldados em 14 de maio passado agravou a crise e aumentou o temor de represálias.

A oposição alega que o desejo do presidente de disputar um terceiro mandato viola os termos do acordo de paz de Arusha. Esse acordo pôs fim, em 2006, a 13 anos de guerra civil.

Já os partidários de Nkurunziza defendem que, no primeiro governo, o presidente foi eleito pelo Parlamento, e não por voto universal.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
PERU
Pablo Cesio
Peru: o menino de 6 anos que reza a Deus de j...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Papa Francisco
Reportagem local
A oração diária de Advento que o Papa Francis...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia