Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

Austrália devolve barco de imigrantes à Indonésia

<p>Dezenas de imigrantes foram interceptados pela Marinha australiana e reenviados às águas da Indonésia depois de terem tentado alcançar a Nova Zelândia.</p>

AFP - publicado em 01/06/15

Dezenas de imigrantes foram interceptados pela Marinha australiana e reenviados às águas da Indonésia depois de terem tentado alcançar a Nova Zelândia.

Os 65 imigrantes de Bangladesh, de Mianmar e do Sri Lanka foram localizados pela Marinha australiana, indicou Hidayat, um oficial da polícia indonésia na ilha de Roti (leste do arquipélago).

"Segundo seu testemunho, foram rejeitados pela Marinha e pela Imigração australianas depois de terem sido interrogados", disse o oficial que, como muitos indonésios, conta com apenas um nome. "Afirmaram que se dirigiam à Nova Zelândia".

O oficial disse que os imigrantes foram encontrados no domingo pelos habitantes da região, perto de uma praia após o naufrágio de sua embarcação.

Em 2013, o governo conservador australiano de Tony Abbott lançou com a ajuda do Exército a operação "Fronteiras soberanas" com o objetivo de dissuadir os refugiados de chegar pelo mar à Austrália.

A Marinha australiana intercepta os barcos de imigrantes e os reenvia ao seu ponto de partida, normalmente a Indonésia.

Os demandantes de asilo que chegam à Austrália são colocados em campos de retenção e devem viver nestes campos, voltar aos seus países de origem ou partir ao Camboja, com quem a Austrália assinou um acordo.

Nas últimas semanas, mais de 3.500 imigrantes chegaram a Tailândia, Malásia e Indonésia. Outros ainda estariam presos em barcos superlotados no mar.

Hidayat não informou a origem destes imigrantes, entre os quais encontram-se mulheres e crianças. Os refugiados foram levados a uma delegacia de polícia, onde autoridades dos serviços de imigração devem se ocupar de cada caso, disse o oficial.

A maioria dos imigrantes do sudeste asiático é proveniente de Bangladesh fugindo da miséria de seus países e os rohingyas muçulmanos buscam escapar das perseguições das quais são vítimas em Mianmar, um país de maioria budista.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia