Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

6 dicas importantes para criar filhos bondosos

© DR
Compartilhar

Pesquisadores de Harvard mostram como os pais podem ensinar seus filhos a alcançar sucesso e felicidade sem deixar de lado a bondade e a empatia

Os pais de hoje estão ficando cansados de ouvir que a tecnologia está arruinando seus filhos pequenos.

A era digital trouxe uma batalha diária de atenção: está cada vez mais difícil prender o interesse das crianças em determinadas atividades. Aliás, nós sabemos que a tecnologia não anda consumindo apenas a atenção de crianças. Adultos estão nessa conta.

A modernidade trouxe coisas novas, mas as noções básicas de se criar uma criança não mudou muito

Isso quem diz é a ciência, ou mais precisamente, pesquisadores de Harvard. Eles acreditam que pais podem ensinar seus filhos a atingir sucesso e encontrar a felicidade sem deixar de lado a bondade e a empatia.

Os estudiosos apontam que existem algumas estratégias testadas e aprovadas para moldar o caráter de crianças da melhor forma possível, criando adultos responsáveis e generosos.

Aqui estão seis dicas práticas:

1. Faça atividades com seus filhos

Este é o principal fundamento para criar um relacionamento sólido com o pequeno ser humano em construção. Passar tempo regularmente com seus filhos, perguntar coisas sobre eles e o mundo, e ouvir atentamente suas respostas são hábitos preciosos.

Você não só vai aprender todos os tipos de coisas que fazem o seu filho único, como também vai demonstrar a eles o que é ter cuidado e preocupação com o próximo. Empatia, lembra?

2. Se é importante, diga em voz alta

De acordo com os pesquisadores, “mesmo que a maioria dos pais diga que cuidar de seus filhos é prioridade máxima, as crianças frequentemente não estão ouvindo a mensagem”.

Então, não se esqueça de dizer isso a eles. E assim eles sabem que é algo que eles precisam fazer também.

Verifique com os professores, treinadores e outras pessoas que se relacionam com seus filhos sobre a forma como eles trabalham em equipe, colaboram e agem como uma boa pessoa.

3. Mostre ao seu filho como lidar com problemas

Deixe claro o processo de tomada de decisões e como essas decisões devem ser consideradas quando podem afetar a vida de outras pessoas. Por exemplo, se o seu filho quiser parar de frequentar as aulas de futebol, incentive-o a encontrar a raiz do problema que o faz querer desistir.

Faça-o pensar em seus amigos que fazem parte do time, como eles seriam afetados com a notícia. A ideia é mostrar como lidar com os próprios problemas pela raiz.

4. Faça da prestatividade e da gratidão uma rotina

Os pesquisadores concluíram que “pessoas que têm o hábito de expressar gratidão são mais propensas a serem úteis e generosas, perdoam mais fácil — e também são mais felizes e saudáveis”.

Então é recomendável que os pais mantenham seus filhos ocupados com algumas tarefas domésticas, ou ainda pedir para ajudar os seus irmãos, e ir agradecendo o cumprimento das atividades ao longo do dia.

Sobre premiar “bom” comportamento, os pesquisadores são categóricos em afirmar que os pais devem elogiar apenas atos incomuns de bondade.

5. Verifique as emoções destrutivas do seu filho

“A habilidade de cuidar dos outros é oprimida pela raiva, vergonha, inveja ou outros sentimentos negativos”, dizem os pesquisadores. Ajudar as crianças a nomear e processar essas emoções serve como guia em direção a resolução de conflitos internos. Isso também ajudará a criança a se tornar uma pessoa mais sensível.

Porém, é igualmente importante definir limites claros e razoáveis sobre amor e cuidado com o próximo pela própria segurança das crianças.

6. Mostre aos seus filhos “o mundo real”

“Quase todas as crianças têm empatia e se preocupam com um pequeno círculo de familiares e amigos”, segundo os pesquisadores. O grande desafio é fazê-las se preocupar com as pessoas que estão social, cultural e até geograficamente fora de seus círculos.

Os pais podem conseguir isso treinando-os a serem bons ouvintes, incentivando-os a se colocar no lugar de outras pessoas e praticar a empatia em momentos oportunos, como notícias ou histórias de entretenimento.

O estudo conclui com uma mensagem a todos os pais:
 

“Criar um filho carinhoso, respeitoso, ético é e sempre foi um trabalho árduo. Mas é algo que todos nós podemos fazer. E nenhum outro trabalho é mais importante ou mais gratificante.”