Aleteia
Terça-feira 29 Setembro |
Beato João de Montmirail
Atualidade

O ultimato da esposa para o marido: "Escolha: ou eu, ou o bebê com Síndrome de Down"

Samuel Forrest

Corrado Paolucci | Thu Jul 09 2015

Um homem se vê diante da escolha entre o casamento e o próprio filho!

Samuel Forrest é pai e, pelo menos segundo as próprias declarações, foi forçado a fazer uma escolha que ninguém jamais gostaria de enfrentar: ou a esposa, com que tinha se casado havia 18 meses, ou o pequeno Leo, um recém-nascido com Síndrome de Down. Por quê? Porque a mãe do bebê e sua família teriam vergonha dele.

“Desonra” para a família


Samuel se tornou pai em 21 de janeiro de 2015, quando a esposa deu à luz num hospital armênio. Poucas horas após o nascimento de Leo, seu pai Samuel, que é da Nova Zelândia, foi forçado pela esposa a escolher entre ela e o filho! A mulher se recusou até a ver ou tocar no bebê, que, de acordo com algumas crenças armênias, teria trazido “desonra para toda a família”. O pai, cuja história foi contada pelo jornal britânico Daily Mail, não foi autorizado, no começo, a ver o próprio filho.

“Eu não vou abandoná-lo”


“As autoridades do hospital não me deixavam ver a minha esposa nem o meu filho. Quando o médico veio falar comigo, ele me disse que havia um problema muito sério com o meu filho”, disse Samuel ao Daily Mail. O pai admite que foi um baque saber da síndrome de Leo, mas “nem por um segundo” lhe passou pela cabeça a ideia de abandoná-lo.

“Para mim, ele é perfeito”


“Quando eles me mostraram o Leo”, continua Samuel, “eu disse imediatamente ao médico que ele era lindo, perfeito e que eu com certeza ia ficar com ele. Quando nasce uma criança como o Leo neste país, a primeira coisa que eles dizem é que você não é obrigado a ficar com ele. Minha esposa já tinha decidido. Mas tudo aconteceu pelas minhas costas”. De acordo com suas declarações, Samuel não conseguiu convencer a mulher quando ela deu o ultimato: ou ela ou o bebê. Samuel escolheu o bebê e decidiu se divorciar.

Leo vai para casa


Após optar pelo bebê ainda que precisasse renunciar ao casamento iniciado só 18 meses antes, Samuel decidiu que não queria manter o filho na Armênia, e sim voltar para a Nova Zelândia, onde poderia lhe garantir o cuidado e a atenção necessária. Ele recorreu à internet para angariar doações e cobrir as despesas da viagem: em menos de 24 horas, a página “Bring Leo home” [“Ajude o Leo a voltar para casa”] captou 100.000 dólares. As doações continuaram e ultrapassaram os 400.000 dólares, dinheiro que Samuel vai usar para comprar uma casa em Auckland e para ajudar os pais armênios que não querem abandonar seus filhos nascidos com a Síndrome de Down.

A versão da esposa


Ruzan Badalyan contou no Facebook a sua versão, responsabilizando a sociedade armênia como incapaz de aceitar a diversidade e o marido por tê-la abandonado e levado embora o pequeno Leo: “No momento mais difícil da minha vida, quando meu marido tinha que ficar perto de mim e me ajudar a tomar a decisão certa, eu não tive nenhum apoio dele […] Ele saiu do hospital e só várias horas depois me informou que tinha levado o bebê e decidido voltar para a Nova Zelândia […] Não tive sequer a oportunidade de refutar a acusação de ter imposto um ultimato. Isso é absolutamente falso. Eu tentei várias vezes falar com ele e a sua única reação foi me acusar”.

Pelo bem do filho


Esperamos que o bem do Leo seja a prioridade dos pais e que ambos reconheçam que todo ser humano quer e precisa do pai e da mãe. Pensem nisto, Samuel e Ruzan!
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
BebêsFamíliaSíndrome de down
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
ROSARY
Redação da Aleteia
Exorcista alerta sobre os perigos de "falar" ...
Aleteia Brasil
Com afastamento do pe. Robson, o Santuário de...
Redação da Aleteia
Papa Francisco: "Não usem o nome de Deus para...
HOLY COMMUNION
Redação da Aleteia
A Santa Missa não pode ser trocada por oraçõe...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Gaudium Press
Sabia que a aliança de casamento pode ter a f...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia