Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 05 Dezembro |
São Saba
home iconAtualidade
line break icon

Curdos da Turquia temem ser 'sacrificados' por países ocidentais

AFP - publicado em 30/07/15

No ano passado, eles acreditaram terem ganho a admiração da comunidade internacional por sua luta contra os jihadistas na Síria. Hoje, os curdos de Nusaybin, cidade turca muito próxima da fronteira com a Síria, sentem-se abandonados pelos países ocidentais em nome da mesma luta antijihadista, e se preparam para o pior.

"O que aconteceu em um ano para o mundo inteiro nos esquecer?", questiona Vedat, um servente de 45 anos, em visita a parentes para ter notícias da família.

Ele está convencido de que, em sua luta contra o grupo Estado Islâmico (EI), os líderes ocidentais estão dispostos a "sacrificar" os curdos.

"Será que somos subumanos a esse ponto?", protestou Ismet Alp, de 70 anos, o prefeito de um distrito da cidade.

As ruas empoeiradas, de calçadas destruídas, estão desertas de habitantes, exauridos pelo calor e preocupados com o futuro.

Ismet Alp se lembra perfeitamente dos "sequestros, torturas e detenções arbitrárias" cotidianos na década de 1990, no auge da luta armada entre o governo central de Ancara e os guerrilheiros curdos.

A permissão implícita dada pelo Ocidente ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, para atacar militantes curdos faz temer um retorno a esse período sombrio, da indiferença geral.

a’A vida dos curdos não vale nada nem para os turcos, nem para o Ocidente", lamentou.

Desde o início da ofensiva turca, os moradores de Nusaybin vivem ao ritmo das operações militares e veem o horizonte escurecer.

Jovens revoltados

Instalados dentro da vista da grande cidade síria de Qamishli, da qual é possível distinguir os edifícios, os habitantes lutam para fechar os olhos à noite.

Costumam ser acordados pelos "confrontos entre jovens curdos e as forças de segurança nas ruas", segundo Idris Sarikaya, de 32 anos.

Ele garante que os jovens estão revoltados e não hesitam em atacar a polícia com armas, bombas ou rifles, para expressar sua raiva contra a polícia considerada hostil.

"Cinco de nossos adolescentes morreram nos últimos dias em confrontos com a polícia", declarou Ismet Alp, entre lágrimas, sem que este balanço possa ser verificado.

"Se necessário, vamos ser obrigados a organizar a nossa própria segurança" e "será necessariamente pelas armas", afirmou seu filho, de 26 anos, Mehmet.

Idris Sarikaya, um jovem pai de família, explica que a ameaça está em toda parte: "A 25 km os combatentes do EI são numerosos e do nosso, na Turquia, é o exército turco que nos cerca", afirma este pedreiro, que já não quer confiar em ninguém.

Sua prioridade é evitar um ataque jihadista em Nusaybin, como o de 20 de julho, que matou 32 jovens curdos na cidade turca de Suruç.

"Quando a força policial é insuficiente, precisamos de nossos jovens, em cada rua, cada bairro, controlando as pessoas e veículos", explica.

"Mas cada vez que montamos bloqueios nas estradas, a polícia chega para desmantelá-lo", lamenta.

Fatigado por anos de esperanças de paz fracassadas, Ismet Alp está cansado e já não acredita no futuro. "Para nós, curdos, a morte é talvez até melhor do que a vida como nós temos vivido aqui."

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
HUG
Dolors Massot
Médico abraça paciente com Covid-19 que chora...
PADRE NO ALTAR DA MISSA
Reportagem local
Missa de Crisma é interrompida por policiais ...
Missa de Crisma
Reportagem local
Arcebispo detona interrupção de Missa: "Ocorr...
BOKO HARAM NIGÉRIA
Francisco Vêneto
Terroristas islâmicos degolam mais de 100 pes...
Bispo brasileiro Dom Antônio Carlos Rossi Keller
Reportagem local
Mais um bispo brasileiro detona: "Autoridades...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia