Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 29 Novembro |
Bem-aventurados Dionísio da Natividade e Redento da Cruz
home iconAtualidade
line break icon

Bebê palestino morre queimado em ataque de colonos israelenses

AFP - publicado em 31/07/15

Um bebê palestino morreu queimado e seus pais ficaram feridos em estado grave em um ataque cometido nesta sexta-feira por colonos israelenses, que atearam fogo a sua casa na Cisjordânia ocupada, um ato classificado de terrorista por Israel.

Esta classificação bastante incomum nestes casos e as condenações unânimes dos líderes israelenses, incluindo o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, não convenceram os palestinos. Estes últimos consideram o governo totalmente responsável pela morte do bebê, por ser a "consequência direta de décadas de impunidade (…) ante o terrorismo dos colonos".

As autoridades preveem manifestações depois da oração desta sexta-feira nos territórios ocupados e o movimento islamita Hamas, no poder na Faixa de Gaza, fez nesta sexta-feira uma convocação a um "dia da ira" contra as agressões israelenses.

Há anos, ativistas de extrema-direita israelenses ou colonos cometem agressões ou atos de vandalismo em Israel e nos territórios palestinos em nome do preço a pagar. Seus alvos são os palestinos, os árabes israelenses, os locais de culto muçulmanos e cristãos, e inclusive os soldados israelenses. A maioria de suas atrocidades ficaram impunes.

Segundo responsáveis de segurança palestinos, na madrugada desta sexta-feira quatro colonos israelenses atearam fogo em duas casas situadas na entrada do povoado palestino de Duma, perto de Nablus, no norte da Cisjordânia, e picharam slogans em um muro, antes de escapar a uma colônia próxima, Maale Efraim. Um dos slogans proclamava "Viva o messias".

O bebê Ali Dawabcheh, de um ano e meio, morreu queimado. Sua mãe Eham, de 26 anos, seu pai Saad e seu irmão Ahmed, de quatro anos, ficaram feridos e foram transportados a um hospital israelense, segundo fontes médicas israelenses.

A mãe se encontra em estado muito grave com queimaduras de terceiro grau em 90% de seu corpo, declarou um médico israelense à rádio pública, acrescentando que "sua vida corre risco". O pai também teve 80% do corpo queimado.

Segundo a rádio militar, o incêndio foi provocado por dois homens mascarados que lançaram coquetéis molotov contra duas casas. Em uma delas vivia a família Dawabcheh. Nos muros picharam "o preço a pagar", "vingança" e desenharam uma estrela de David.

Um porta-voz militar israelense disse que havia pichações em hebraico nos muros da casa e que o exército se esforça para "localizar os autores do ataque".

Netanyahu e o exército denunciaram rapidamente um ato "terrorista". Mas Saeb Erakat, número dois da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), estimou que "não é possível dissociar este ataque bárbaro" de um "governo que representa uma coalizão para a colonização e o apartheid".

Julgar os assassinos

Yaariv Oppenheimer, dirigente da Paz Agora, uma ONG israelense contrária à colonização dos territórios palestinos, diz que este tipo de "agressões por parte dos colonos se converteram em uma verdadeira epidemia". Na rádio israelense, denunciou "a indulgência do governo com a violência antipalestina e os discursos de ódio".

As ONGs de defesa dos direitos humanos corroboram estes dados. Em maio, a organização israelense Yesh Din estimou que 85,3% das denúncias dos palestinos por ataques de colonos estavam arquivadas.

Desta vez Netanyahu disse ter ordenado "às forças de segurança o uso de todos os meios a sua disposição para deter os assassinos e levá-los à justiça". Seu ministro da Defesa, Moshé Yaalon, os chamou de "terroristas judeus".

A polícia israelense se mobilizou em massa na cidade antiga de Jerusalém, sobretudo nos arredores da Esplanada das Mesquitas, prevendo manifestações. Os homens com menos de 50 anos não podem entrar nela.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
POPE URBI ET ORBI
Reportagem local
Bênção Urbi et Orbi do Papa Francisco nesta s...
Folheto divulgado por Antônio Carlos da Silva
Reportagem local
Eu nasci mais ou menos em 1988: os 27 anos da...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
FATIMA
Philip Kosloski
Nossa Senhora de Fátima tem um conselho para ...
Medalha Milagrosa verdadeira ou falsa
Reportagem local
Cuidado: saiba distinguir entre a real Medalh...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia