Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
home iconAtualidade
line break icon

Descoberta de destroços pode elucidar mistério do voo MH370

<p>(2 ago) Policiais franceses transportam objetos metálicos encontrados em uma praia da ilha</p>

AFP - publicado em 06/08/15

As autoridades da Malásia anunciaram nesta quinta-feira que os destroços do avião encontrados há uma semana na Ilha Reunião pertencem ao voo MH370, e informaram sobre a descoberta de mais restos, alimentando a esperança de se resolver um dos maiores mistérios da aviação.

O primeiro-ministro malaio, Najib Razak, anunciou nesta quinta-feira que o fragmento de dois metros de comprimento que apareceu na ilha francesa de Reunião, no Oceano Índico, pertencia ao Boeing 777 que realizava o voo MH370, desaparecido misteriosamente há 17 meses.

"Tenho que dizer a vocês, com todo o pesar do meu coração, que uma equipe de especialistas internacionais confirmou que o fragmento do avião encontrado na Ilha Reunião pertence ao MH370", declarou Razak em uma coletiva de imprensa.

O flaperon do avião – um fragmento da asa – começou a ser analisado na quarta-feira em um laboratório militar perto de Toulouse (sudoeste da França). A investigação prosseguia nesta quinta-feira.

O voo, que cobria a rota Kuala Lumpur-Pequim, desapareceu no dia 8 de março de 2014 com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar e modificar inexplicavelmente sua rota.

A justiça francesa utilizou uma linguagem mais prudente que o chefe do Executivo malaio, limitando-se a dizer que havia suspeitas muito fortes de que pertencia ao MH370.

A companhia Malaysia Airlines apresentou as notícias como um grande avanço, ressaltando que podem ajudar a encontrar o avião.

As autoridades australianas, que participam do enorme dispositivo de busca mobilizado após o ocorrido, também mostraram uma esperança renovada em encontrar o avião.

"Isso mostra pela primeira vez que talvez estejamos um pouco mais próximos de resolver este desconcertante mistério", declarou o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott.

O ministro dos Transportes malaio, Liow Tiong, afirmou na tarde desta quinta-feira que foram encontrados mais escombros supostamente procedentes de um avião, como janelas ou almofadas de assento, em Reunião, mas que cabia às autoridades francesas estabelecer se procediam do MH370.

No entanto, fontes judiciais francesas indicaram à AFP Que até o momento os investigadores do país não receberam mais destroços do avião.

Sentimentos dos familiares

Os familiares dos passageiros esperaram estas notícias com uma mistura de expectativa e temor.

A confirmação terminou com "uma semana de angústia" para Sara Weeks, irmã de um passageiro neozelandês do MH370.

"Encontrar algo é o primeiro passo para determinar onde está", disse ao grupo midiático neozelandês Fairfax.

No entanto, outros parentes, que criticaram a gestão da crise por parte das autoridades malaias, especialmente chineses – nacionalidade de origem da maioria dos passageiros – se negavam a acreditar na notícia.

"Não acredito nesta informação sobre o avião, mentem para nós desde o início", disse Zhang Yongli, cuja filha estava no avião. "Sei que minha filha está em algum lugar, mas não querem nos dizer a verdade", afirmou.

"Onde está o corpo do meu marido? Os pertences de algum passageiro foram encontrados? Não. Acharam apenas uma peça", disse Elaine Chew, cujo marido fazia parte da tripulação.

O ministério das Relações Exteriores chinês informou, no entanto, que a declaração de Najib "confirmou o veredicto do acidente da Malaysia Airlines".

Por sua vez, Martin Dolan, comissário chefe da segurança dos transportes australianos, mostrou-se confiante de que "buscamos no lugar certo e encontraremos a aeronave".

Para o consultor de aviação baseado em Jacarta Gerry Soejatman, a confirmação do vínculo com o MH370 é um grande passo.

"As pessoas querem todas as respostas, mas sejamos realistas. Devemos nos alegrar de ter encontrado algo. Agora sabemos mais ou menos onde pode ter caído", disse.

Espera-se que a investigação do fragmento possa fornecer pistas nos próximos dias sobre como se separou do resto do avião ou se mostra traços de uma explosão ou de um incêndio, assim como quanto tempo passou na água e onde.

burs-kma/as/sgf/zm/ma

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
PERU
Pablo Cesio
Peru: o menino de 6 anos que reza a Deus de j...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Papa Francisco
Reportagem local
A oração diária de Advento que o Papa Francis...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia