Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
home iconAtualidade
line break icon

Legislativas no Haiti têm incidentes e baixa participação

<p>Depois de quase quatro anos de adiamentos, as eleições legislativas no Haiti começaram neste domingo, em meio a temores de episódios de violência e a um baixo comparecimento às urnas</p>

AFP - publicado em 10/08/15

O Haiti retomou a ordem constitucional, ao organizar neste domingo as primeiras eleições legislativas desde 2011, mas a consulta foi marcada por vários incidentes, alguns violentos, atrasos na abertura dos locais de votação e baixa participação.

Os centros de votação abriram às 6h locais, mas, na capital, muitos eleitores tiveram que esperar mais de uma hora para que os mesários terminassem os preparativos para a votação. O atraso também foi registrado em cidades do interior.

Segundo autoridades, por este motivo, algumas seções fecharam depois das 16h00 locais (17h00 de Brasília), horário previsto para o fim da votação.

O Conselho Eleitoral Provisório (CEP) declarou-se, na noite deste domingo, "satisfeito em termos gerais", embora tenha admitido que incidentes e atos de sabotagem afetaram o primeiro turno das legislativas.

Pierre Louis Opont, presidente do CEP, explicou em coletiva de imprensa que "4% dos centros de votação foram afetados por atos de violência" que forçaram seu fechamento antes do horário previsto.

Segundo estimativas de Opont, 290 mil eleitores não puderam votar.

Antes da quarta-feira, o CEP decidirá se vai organizar uma nova votação nos locais afetados.

Após se negar a dar uma estimativa sobre a taxa de participação, Opont admitiu que "não houve aglomeração" de eleitores nos centros de votação. Ele tampouco deu um balanço dos atos de violência que ofuscaram este dia de votação.

Três centros teriam sido incendiados em Savanette (centro), segundo a presidente do partido opositor Fusion, Edmonte Supplice Beauzile.

Esta é a primeira eleição desde 2011, devido à profunda crise entre o presidente Michel Martelly e a oposição.

O país mais pobre das Américas tem uma história de instabilidade crônica e ainda luta para se recuperar do terremoto de 2010. O desastre matou mais de 250.000 pessoas e destruiu grande parte da infraestrutura do Haiti.

Agora, com quatro anos de atraso, os 5,8 milhões de eleitores, de uma população de 10,3 milhões, são convidados a escolher os novos deputados e a renovar dois terços do Senado.

Mas o grande número de candidatos – um total de 1.855 -, que aspiram a 139 cadeiras no parlamento, somado à onda de violência que marcou a campanha política e ao baixo comparecimento, representa um desafio.

"Apesar dos incidentes em alguns centros de votação, em geral, os problemas se corrigem", disse à AFP a chefe da missão de observação eleitoral da União Europeia, Elena Valenciano.

Após constatar a fraca participação, ela indicou que "é necessário fazer um chamado aos haitianos para que exerçam seu direito ao voto, para saber, de uma vez por todas, que futuro querem para seu país".

Saques

Três seções eleitorais foram saqueadas durante a manhã na capital, Porto Príncipe. Urnas foram jogadas na rua e cédulas de votação, rasgadas por desconhecidos.

"Entraram e gritaram que as eleições eram manipuladas pelo poder", contou o mesário Dieunel. "Abriram as urnas e rasgaram os envelopes com os votos. Outros, do lado de fora, atiravam garrafas e pedras contra nós. Não pudemos fazer nada, estamos trabalhando, não estamos aqui para arriscar nossas vidas", lamentou o jovem.

O porta-voz da Polícia Nacional do Hatiti, Frantz Lerebours, indicou que, na metade do dia, 26 seções eleitorais em todo o país já haviam fechado, devido a incidentes violentos em seu interior ou nos arredores.

Ante o temor de episódios de violência, a polícia nacional mobilizou mais de 7 mil agentes em todo o país, e a Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah) estava pronta para prestar apoio.

Participação fraca

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, incentivou os haitianos a votar neste sábado.

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
PERU
Pablo Cesio
Peru: o menino de 6 anos que reza a Deus de j...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Papa Francisco
Reportagem local
A oração diária de Advento que o Papa Francis...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia