Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 30 Novembro |
São Mirocletes
home iconAtualidade
line break icon

Seul reforça segurança na fronteira com a Coreia do Norte

AFP - publicado em 11/08/15

A Coreia do Sul reforçou a segurança na fronteira com a Coreia do Norte, depois do aumento da tensão militar provocado pela explosão de minas que Seul atribui a Pyongyang.

As autoridades sul-coreanas acusaram militares norte-coreanos de terem atravessado a fronteira para instalar minas terrestres, que mutilaram dois soldados de Seul na semana passada.

O incidente aconteceu na zona desmilitarizada (DMZ), que chega a dois quilômetros dos dois lados da fronteira. Um soldado perdeu as duas pernas e o outro teve uma perna amputada.

A Coreia do Sul anunciou na segunda-feira a retomada de suas operações de propaganda na fronteira com a Coreia do Norte, pela primeira vez em 11 anos.

"Reforçamos nossas posições defensivas (ao longo da fronteira) ante outra potencial provocação do Norte", declarou o porta-voz do ministério da Defesa sul-coreano, Kim Min-Seok.

O exército "responderá imediatamente" se a Coreia do Norte abrir fogo contra os alto-falantes, completou o porta-voz. Os moradores da região receberam a recomendação de prudência e os agricultores a abandonar os campos.

A presidência sul-coreana exigiu um pedido de desculpas de Pyongyang pelo que chamou de "clara violação" do acordo de cessar-fogo, que encerrou a guerra da Coreia (1950-1953).

De acordo com a imprensa sul-coreana, os alto-falantes começaram a funcionar de novo em 11 pontos da fronteira.

Os aparelhos divulgam informações internacionais, boletins meteorológicos, mensagens que denunciam as provocações norte-coreanas e evocam a superioridade da democracia, segundo o ministério da Defesa.

As mensagens são ouvidas a mais de 10 quilômetros da área.

Durante vários anos, fileiras de alto-falantes colocados ao longo da fronteira com a Coreia do Norte transmitiram mensagens de propaganda sobre as virtudes de viver no Sul.

A ação foi suspensa em 2004, durante um período de aproximação entre os dois Estados rivais, iniciado pelo ex-presidente sul-coreano Kim Dae-Jung.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Jesús V. Picón
Padre com câncer terminal: perde os olhos, ma...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
FIRST CENTURY HOUSE AT THE SISTERS OF NAZARETH SITE
John Burger
Arqueólogo diz ter encontrado a casa onde Jes...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia