Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 24 Novembro |
Santas Flora e Maria
home iconAtualidade
line break icon

Nada menos que 100 milhões de cristãos são perseguidos hoje no mundo todo

© al-Furqān Media

Chiara Santomiero - publicado em 12/08/15

Um dossiê da Caritas italiana expõe a situação dos cristãos e o aumento global da intolerância às minorias

Mais de 100 milhões de cristãos em todo o mundo são vítimas de discriminação, perseguição e violência: existe a intolerância do fanatismo religioso e ideológico, existem sistemas institucionais que não reconhecem a liberdade religiosa, existem estratégias políticas dos regimes totalitários.

Entre os dez países com maior registro de perseguição contra minorias e grupos étnico-religiosos, encontram-se dois do Oriente Médio (a Síria e o Iraque, onde o terrorismo do Estado Islâmico potencializou a barbárie até níveis estarrecedores), três da Ásia (o Afeganistão, o Paquistão e Mianmar, antiga Birmânia) e cinco da África (a Somália, o Sudão, a República do Congo, o Sudão do Sul e a República Centro-Africana). Merece triste destaque também a Coreia do Norte do ditador Kim Jong-un, onde de 50 a 70 mil cristãos estão confinados em campos de detenção.

Estima-se que de novembro de 2013 a 31 de outubro de 2014, no mínimo 4.344 cristãos foram assassinados no mundo unicamente por razões ligadas à sua fé. No mesmo período e pelo mesmo motivo, 1.062 igrejas cristãs foram atacadas.

O relatório da Caritas italiana ("Perseguitati. Cristiani e minoranze nella morsa tra terrorismo e migrazioni forzate" – "Perseguidos: cristãos e minorias nas garras do terrorismo e da migração forçada", publicado no final de julho e disponível em www.caritasitaliana.it) apresenta em dados concretos um fenômeno que o papa Francisco e os bispos do Oriente Médio vêm denunciando com ênfase, mas que parece ainda não ter sacudido a consciência do Ocidente cristão. O paradoxo é que justamente a errônea identificação entre Ocidente e cristianismo é um dos motivos que transformam os cristãos em alvo de perseguição nesses países e em vários outros, como explicou à Aleteia um dos editores do relatório, Silvio Tessari, responsável pelos setores Norte da África e Oriente Médio da área internacional da Caritas italiana.

Aleteia: O relatório destaca dados impressionantes. A perseguição aos cristãos é um fenômeno subestimado no tempo ou está acontecendo uma escalada?

Tessari: Pior que subestimado. Este fenômeno tem sido praticamente ignorado. Houve certa tomada de consciência no ano passado, quando o Estado Islâmico foi conquistando territórios do Iraque e da Síria e forçando os cristãos a se converter ou fugir apenas com a roupa do corpo. Mas não é só o Estado Islâmico. A Europa continua se fazendo de surda e apontando no islamismo radical a principal razão das perseguições contra os cristãos no Oriente Médio e no mundo. Isto é só parcialmente verdadeiro. Por exemplo, em países da América Latina, como o México, os cristãos estão sendo alvo do narcotráfico porque defendem valores que arruinariam o mercado da droga. Em outros países, como a Índia, existem leis que não permitem conversões religiosas e, portanto, limitam a liberdade de consciência.

Aleteia: É um problema que também afeta muitas outras minorias étnicas e religiosas, não?

Tessari: Sem dúvida. Os cristãos estão sendo muito perseguidos no Oriente Médio, mas o mesmo acontece com os yazidis e com a violência sectária entre sunitas e xiitas, que são as duas principais confissões dentro do mundo muçulmano. Com a presença da Caritas em tantos países diferentes, nós percebemos que há um aumento da intolerância em todo o planeta em relação a quem é “diferente de mim”. Isso também é notável na própria Europa com a crescente intolerância às minorias, especialmente no Norte, em países como a Noruega, a Dinamarca, a Suécia, que eram reconhecidos pela abertura e pela democracia.

Aleteia: Quais são as causas?

Tessari: O relatório aponta que, muitas vezes, as chamadas "guerras religiosas" disfarçam, na realidade, muitos interesses políticos e econômicos bem específicos. Também é forte a questão da desigualdade: é inegável que, se os recursos fossem distribuídos de forma mais equitativa, se houvesse mais justiça social no mundo e dentro dos países, os conflitos teriam menos chances de explodir. As dificuldades das várias situações econômicas e sociais são como combustível jogado no fogo. E quando se procura um bode expiatório, o cristianismo é identificado em muitos países com o Ocidente, que é visto como rico e egoísta. Além do mais, é claro que é mais fácil culpar os cristãos que estão ali ao lado do que o Parlamento Europeu e a Casa Branca.

Aleteia: Diante do terrorismo de matriz islâmica também é fácil sucumbir à ideia do "choque de civilizações". Como evitar esse reducionismo?

Tessari: Temos de construir uma cultura contrária. É verossímil que possa explodir um conflito entre sistemas ideológicos e religiosos, mas também existem muitas razões para as pessoas escolherem a coexistência pacífica, fazendo o esforço de compreender o ponto de vista do outro. Neste processo, é necessário o respeito por todas as religiões, mas também leis que protejam os direitos fundamentais da pessoa. É um trabalho de construção de civilização para que todos se sintam cidadãos do mundo, com igual dignidade. Nesse trabalho de construção da civilização é possível ressaltar o rosto de paz das religiões, que já se evidencia com o trabalho da própria Caritas no Oriente Médio, por exemplo.

Tags:
intoleranciaPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
AGNUS DEI,LAMB
Jesús Colina
Ninguém consegue ouvir este “Agnus Dei” sem s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia