Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Premier: Japão não deve ‘predestinar’ seus filhos a pedirem desculpas pela guerra

O premier japonês discursa em sua residência oficial, em Tóquio

Compartilhar

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, expressou nesta sexta-feira "condolência eterna" pelas vítimas da guerra em seu país e no exterior, mas afirmou que as futuras gerações "não devem ser predestinadas" a pedir desculpas pelo passado militar, em um discurso no 70º aniversário da rendição nipônica.

"Não devemos permitir que nossos filhos, netos e futuras gerações, que não têm nada a ver com a guerra, sejam predestinados a pedir desculpas", afirmou em um discurso muito aguardado pelos vizinhos asiáticos do Japão, que sofreram com o militarismo do país.

Por ocasião do aniversário, "me inclino profundamente ante as almas daqueles que morreram tanto em nosso país como no exterior. Expresso meu sentimento de pena profunda e minha condolência eterna e sincera", disse Abe.

"O Japão reiterou muitas vezes seu sentimento de remorso profundo e suas desculpas sinceras por seus atos durante a guerra".

"As posturas expressadas pelos governos precedentes permanecerão inabaláveis no futuro", disse.

A expansão militar do Japão entre 1910 e 1945 permanece como um ponto de discórdia nas relações com os países vizinhos, especialmente China e Coreia do Sul.