Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 02 Dezembro |
São Cromácio de Aquileia
home iconAtualidade
line break icon

Horrorizada por massacre de civis na Síria, ONU adota novo plano de paz

<p>Criança ferida recebe atendimento em Douma</p>

AFP - publicado em 18/08/15

A ONU declarou seu "horror" nesta segunda-feira pelo mais recente ataque aéreo lançado pelo regime sírio, que deixou quase cem mortos em um mercado perto de Damasco, enquanto o Conselho de Segurança aprovou um novo plano de paz para a Síria, com o aval da Rússia.

Trata-se do primeiro plano político sobre a Síria que conta com a aprovação de todos os membros do Conselho.

O mesmo pede que se ponha fim à guerra, "lançando um processo político gerido pela Síria para uma transição na qual se integrem todas as aspirações legítimas do povo sírio".

A iniciativa, que começará em setembro, permitirá instalar quatro grupos de trabalho sobre segurança e proteção, contraterrorismo, questões legais e políticas, bem como sobre a reconstrução do país.

A transição compreende "o estabelecimento de um corpo dirigente de transição inclusivo, com plenos poderes, que deverá ser formado com base em um consenso mútuo que assegure a continuidade (do funcionamento) das instituições governamentais".

Este ataque brutal que ocorreu no domingo, em Duma, principal reduto rebelde na região de Damasco, foi um dos mais mortais desde o início da guerra, em 2011, e também recebeu a condenação de Estados Unidos e União Europeia.

O ataque aconteceu no mesmo local e quase dois anos depois de um ataque com armas químicas que as potências ocidentais e a oposição atribuem ao regime de Bashar al-Assad.

Uma série de bombardeios aéreos do regime sírio atingiu no domingo o mercado muito movimentado no centro de Duma, 13 km ao nordeste de Damasco, que está sob o controle insurgente há quase três anos.

"O balanço subiu para 96 mortos, incluindo ao menos duas mulheres e quatro crianças", informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), que citou a possibilidade do aumento do número de vítimas fatais, em consequência do estado crítico de muitos feridos.

Pelo menos 240 pessoas ficaram feridas, segundo a mesma ONG, que tem sede no Reino Unido e conta com uma ampla rede de fontes.

Poucas horas depois do que a oposição no exílio chamou de "massacre", os aviões do regime voltaram a atacar a mesma localidade nesta segunda-feira.

Um fotógrafo da AFP presente no local constatou que muitas pessoas que tentavam chegar ao cemitério para enterrar seus mortos não conseguiram fazê-lo devido a estes ataques aéreos lançados no domingo e na segunda-feira.

Crianças cobertas de sangue

Na véspera, o fotógrafo descreveu o ataque como o pior que já tinha coberto em Duma.

Depois dos bombardeios, ele contou ter visto moradores da cidade transportando, desesperados, vários feridos para hospitais improvisados. Na falta de espaço, muitos corpos jaziam no chão, cobertos de sangue, inclusive do lado de fora do hospital.

Muitas crianças, cobertas de sangue, choravam e gritavam de dor.

Um vídeo publicado na internet por militantes mostrava veículos carbonizados em meio aos escombros, enquanto várias fachadas de edifícios tinham desabado.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, considerou "inaceitável para um governo matar seus próprios cidadãos, independentemente das circunstâncias", segundo um comunicado.

"O bombardeio do governo ontem em Duma foi devastador, os ataques contra zonas civis estão proibidos pelo direito internacional", acrescentou.

O diretor de assuntos humanitários da ONU, Stephen O’Brien, que visitava Damasco no momento dos ataques, disse que estava "horrorizado com a total falta de respeito demonstrada para com as vidas dos civis neste conflito".

Ele afirmou estar "particularmente comovido com as informações sobre ataques aéreos que deixaram dezenas de mortos e centenas de feridos entre os civis no coração de Duma, uma zona cercada".

  • 1
  • 2
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
PERU
Pablo Cesio
Peru: o menino de 6 anos que reza a Deus de j...
Aleteia Brasil
Oração do Advento
SANTUÁRIO DE APARECIDA INTERIOR BASÍLICA
Reportagem local
Suposto surto de covid-19 entre padres do San...
Sintomas da depressão
Reportagem local
8 sintomas físicos da depressão: fique atento...
READING
Gelsomino Del Guercio
3 regras fundamentais para os leitores da mis...
Papa Francisco
Reportagem local
A oração diária de Advento que o Papa Francis...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia