Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 17 Janeiro |
home iconAtualidade
line break icon

Bud Spencer: agora preciso da fé mais do que nunca

Eric Montfort

Gelsomino Del Guercio - publicado em 02/10/15

O ator de 86 anos fala de religião e faz um balanço da sua vida: “Cometi muitos erros, agora estou nas mãos do Senhor”

“Com quem eu gostaria de ter minha última refeição? Um belo prato de spaghetti, em companhia de Jesus.”

Ele foi um herói do “Spaghetti Western”, junto a Terence Hill, depois de triunfar em sua juventude como campeão olímpico de natação.

Agora, Bud Spencer, em uma recente entrevista ao jornal alemão Welt am Sonntag, a propósito do seu novo livro, “Como Ergo Sum”, se confessa sobre temas íntimos e muito delicados: sua relação com a religião, com o final da vida, com o que há depois da morte.

“Em minha velhice avançada, preciso da religião, preciso da fé. Creio em Deus, isso é o que me salva”, explica Carlo Pedersoli (seu verdadeiro nome). No entanto, continua ele, “percebi que tudo aquilo a que eu dava um grande valor não é nada: o esporte, no qual eu queria me afirmar, a popularidade. Quem se orgulha dessas coisas, quem busca somente o sucesso, a fama, é um idiota.”

Erros e arrependimentos

Bud admite não ter sido precisamente um santo em sua vida. E só agora percebe os erros do passado. “Cometi muitos erros, com as mulheres, com os amigos, erros grandes, loucuras. Agora que tenho quase 86 anos, vejo as coisas de maneira muito diferente. A vida me ensinou que as coisas importantes são outras.”

Ele não evita o tema da morte, muito pelo contrário: “Estou cada vez mais apaixonado pela vida, cada dia que passa, mas a morte não me assusta. Porque acho que, na verdade, a pessoa não morre, e que a alma continua viva mesmo depois de deixar a terra. Tenho certeza de que a vida continua. No entanto, enfrentarei a morte com dignidade, e com a mesma dignidade enfrentarei o juízo de Deus”.

“Não sou um herói”

Esta mesma dignidade o leva a dizer: “Não me interessa um ‘adeus’ de heróis. Sou um homem como os outros. A vida é uma farsa, muita fumaça para os olhos, muitas alegrias, mas também muitas desilusões. O heroísmo, no meu caso, é algo artificial, uma ficção. O verdadeiro herói é somente aquele que dá a vida pelo seu país ou protege sua família com um ato extraordinário. Eu não sou um desses”.

Tags:
Cinema
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fáti...
UNPLANNED
Jaime Septién
Filme contra o aborto arrasa nas bilheterias ...
BABY BAPTISM
Padre Reginaldo Manzotti
Por que é tão importante batizar uma criança?
Deserto de Negev
Francisco Vêneto
Pedra de 1.400 anos com inscrição mariana é e...
KRZYŻYK NA CZOLE
Beatriz Camargo
60 nomes de bebês que carregam mensagens pode...
Reportagem local
Papa Francisco: cuidado com os cristãos que s...
POPE JOHN PAUL II
Philip Kosloski
"Não tenhais medo": a frase mais usada por Sã...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia