Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Judeu salvo do Holocausto por família cristã quer agora salvar os cristãos sírios como forma de gratidão

Compartilhar

Ele já resgatou da Síria 50 famílias cristãs, alojando-as na Polônia

Ele é judeu e tinha 19 anos quando escapou do nazismo na Áustria em 1938, adotado por uma família cristã protestante de Londres. Agora, aos 96 anos, Lorde Weidenfeld quer resgatar cristãos ameaçados no Oriente Médio pelo terrorismo fundamentalista islâmico e, para isto, criou a operação Safe Havens, que ajuda os cristãos refugiados a recomeçarem a vida na Europa. A iniciativa, apoiada por outros colaboradores judeus, já retirou 50 famílias cristãs da Síria e as levou para a Polônia. O custo estimado para sustentar uma família de cinco pessoas na Europa durante um ano corresponde a R$ 121.000 e está sendo bancado pelo projeto de Weidenfeld.

Ele afirma que a ajuda aos cristãos tem sido “insuficiente” e que se sentiu “pessoalmente obrigado a ajudar os cristãos da minha maneira modesta”, em gratidão pela ajuda que recebeu deles numa época terrível da sua juventude.

Cerca de 4 milhões de sírios tiveram de fugir do seu país, a maioria para a Turquia e o Líbano. Muitos tentam chegar à Europa em perigosas travessias de barco pelo Mediterrâneo ou cruzando a pé os países balcânicos. Grande parte dos refugiados são muçulmanos, mas há um número muito relevante de cristãos entre eles e, segundo Weidenfeld, a situação enfrentada pelos cristãos é “mais injusta: eles não têm apoio suficiente”. Já para os muçulmanos, “há ajuda logística e grandes somas em dinheiro sendo oferecidas”, além de contarem com “áreas seguras próximas” de seus países de origem.

Weidenfeld responsabiliza o presidente norte-americano Barack Obama pelo que está acontecendo no Oriente Médio: para ele, a posição de Obama “enfraqueceu e alienou” alguns de seus aliados na coalizão internacional que desde setembro de 2014 vem atacando alvos do Estado Islâmico na Síria.

Com informações da BBC Brasil

Boletim
Receba Aleteia todo dia
São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.