Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 16 Outubro |
Santa Margarida Maria Alacoque
Aleteia logo
home iconPara Ela
line break icon

Por que casar-se é uma vocação?

BLOG DE EMMA E DIDIER - publicado em 27/10/15

Quando decidimos nos casar, muitas pessoas tentaram nos convencer a morar juntos antes do "passo definitivo", caso as coisas não dessem certo. Isso me fez questionar algumas coisas

Quando decidimos nos casar, muitas pessoas tentaram nos convencer a morar juntos antes do “passo definitivo”, caso as coisas não dessem certo. Isso me fez questionar-me:

– Por que estou dizendo “sim” ao matrimônio católico?
– Estou perdendo alguma coisa ao assumir um compromisso para a vida inteira?
– Por que ou para que casar-me?

Após uma longa reflexão, cheguei à simples verdade:

Se você sente que Deus o chama a formar uma família, o matrimônio é o seu caminho. Muitos podem me dizer: “Emma, mas isso não é um argumento válido, é só uma frase”. Eu sei, é só uma frase, mas tenha paciência e permita-me compartilhar a minha postura.

Nós não fomos feitos para os compromissos pela metade; nossa natureza nos leva a dar tudo pelo tudo. Nenhuma pessoa entra em uma empresa com a ideia de fracassar, ninguém começa um relacionamento vislumbrando o dia em que ele vai terminar.

Não existe casamento a prazo, com data de vencimento ou com possibilidade de renovação de contrato. Casar-se é uma decisão, uma decisão sua, não da Igreja, já que ela não obrigada você, ela simplesmente é testemunha.

Quando você faz os votos matrimoniais, não diz “Eu te recebo em nome da Santa Sé” ou “Serei fiel por vontade do Papa”. Não é a Igreja quem tomou a decisão do eu casamento, e tampouco é a Igreja quem pode mudar as regras do jogo depois. Foi você quem prometeu amar durante a vida inteira.

Eu uso muito a palavra “decisão”, para recordar o peso que ela tem e seu papel fundamental na vocação do casamento.

Mas muitos parecem treinar para divórcios “express”, ou seja, para estar com alguém enquanto esse alguém os fizer felizes; e começam a estrada com uma atitude egoísta, esquecendo-se desta grande verdade: você não se casa para que o outro o faça feliz, e sim para buscar a felicidade dele e, juntos, encontrarem a fonte desta felicidade: Cristo.

No casamento, não se trata de dar somente 5%, 10%, 15%… nem sequer dizer ao outro: “Eu lhe dou 90% do meu coração, mas não posso entregar todo o meu ser”. Porque nós sabemos que isso não é amor.

Quem ama de verdade, não diz “Eu te amarei durante dois anos” ou “Eu te amarei até que não consigamos mais nos entender”. Isso não é amar, porque o amor autêntico exige um compromisso, um “para sempre”. Qualquer coisa que não seja isso simplesmente não é amor, é algo falso, inclusive uma comunhão de egoísmo.

É verdade que nós, homens e mulheres, lutamos com nossas próprias fraquezas, e que a inconstância é uma delas, mas o fato de não termos amado dessa maneira não quer dizer que esse amor não exista.

Muitas vezes, a falta de formação (ou seja, nós nos preparamos para uma profissão durante anos, mas quando é hora de fazer um curso de noivos de alguns meses, reclamamos, como se o casamento fosse durar por um passe de mágica), a cultura egoísta, a economia utilitarista, a perda do sentido da virtude e o perigo dos vícios, o pecado humano, a cultura da morte em si, acabam tendo um papel prejudicial no empobrecimento da nossa geração.

Assim, muitos acabam achando que morar juntos antes de casar é sinal de liberdade, de revolução (provar para ver se serve, como se a outra pessoa fosse um experimento de laboratório), quando no fundo isso revela o medo do compromisso.

Faz exatamente um ano que me comprometi com o Didier. Foi numa noite após a Missa, depois de ter oferecido a Deus a decisão e de ter dado não somente o “Sim, eu aceito” ao outro, mas também o “Faça-se em mim” ao Senhor.

Eu sei o que foi a minha vida antes do homem que hoje é meu esposo, e descobri que tudo foi preparação. Depois de anos de discernimento e purificação em nossos corações, fomos abençoados com clareza e paz sobre esta decisão.

Eu quero aproveitar a vida ao máximo, e entregar tudo o que puder a Deus nesta vocação, através da minha entrega ao Didier. Descobrir que o amor matrimonial é reflexo do amor de Jesus pela sua Igreja me tornou livre de tudo o que é desnecessário, e me dá coragem para tornar-me a mulher que Deus quer que eu seja, uma mulher que fará todo o possível para incentivar meu esposo em seu peregrinar rumo ao céu.

Quero dar ao meu esposo não somente 80%, nem 90%, nem sequer 99%. Quero dar 100% e muito mais. Porque fomos criados para isso: para amar sem medida.

É por isso que eu decidi entregar a minha vida.

O matrimônio é a minha vocação.

Tags:
AmorCaridadeCasamentoFamíliaFilhosTestemunhoVocação
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
2
Milagre do Sol em Fátima
Reportagem local
13 de outubro: o dia em que o mundo presenciou o Milagre do Sol e...
3
Reportagem local
O grande crucifixo submerso que só pode ser visto quando o lago c...
4
MULHER REZANDO
O São Paulo
Rezar deitado: é certo ou errado?
5
Claudio de Castro
Uma alma do Purgatório te agradecerá por isto
6
PRIEST-EUCHARIST-ELEVATION-HOST
Philip Kosloski
O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice?
7
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia