Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 09 Maio |
home iconAtualidade
line break icon

Ensaísta islâmico francês declara: “Temos que dizer que o mundo muçulmano está doente”

Arthur Herlin - publicado em 19/11/15

"Felizmente, a cultura católica está aqui para oferecer uma vontade de fraternidade entre os franceses! Esta cultura moldou a França"

Muçulmano praticante, médico de formação, ensaísta, especialista na questão do islã na França e autor do livro “França-Islã: o choque dos preconceitos”, Malik Bezouh conversou com Aleteia.

Aleteia: Como você analisa a atmosfera na sociedade francesa depois dos ataques?

Malik Bezouh: Há um medo geral, as pessoas estão claramente com medo. Quanto aos muçulmanos, eles estão inquietos e temem as generalizações. Mesmo assim, temos que sair dessa postura vitimista. Mas só responder às generalizações é estéril. Não podemos nos contentar com isso. O que precisamos é dar mais um passo e explicar. A nossa sociedade está em uma encruzilhada. Este drama é um “agora ou nunca” para fazermos uma espécie de “psicoterapia nacional”.

Qual é a posição que os muçulmanos da França devem adotar?

Existe uma dificuldade com a nossa religião: o fundamentalismo que se expressa através desses ataques não é uma doença, mas sim um sintoma muito mais profundo. Nós temos que ser capazes de dizer que o mundo muçulmano está doente. Seria bom que reconhecêssemos as nossas falhas. Poucos dias antes dos ataques, eu recebi uma “fatwa” nas redes sociais me condenando à morte porque eu sou um “reformador”. Eu não vou desistir, já que eu também sou um ativista do patriotismo francês. Eu acredito no amor da França, eu tenho que me comprometer, isso está nas minhas entranhas. Os católicos têm aprendido a lidar com o anticlericalismo galopante e com a cristianofobia. O islã também tem que aprender a lidar com essa realidade.

Como você vê a reação dos franceses de “cultura” católica?

Eu acho que, no geral, a reação é sadia. A cultura católica fez a França ter valores nobres que ajudam a aliviar as tensões. Felizmente, a cultura católica está aqui para oferecer uma vontade de fraternidade entre os franceses! Esta cultura moldou a França e os franceses; o imaginário dos franceses se banha nela. Reconciliações, reencontros e debates são mais possíveis do que nunca. Eu estou otimista, porque a França é forte, ela já passou por muita coisa desde os tempos do rei Clóvis. Somos muitos, hoje, trabalhando para melhorar o relacionamento entre as diferentes comunidades.

Sendo muçulmano, como você contribui para esse diálogo?

Eu estou empenhado no “proselitismo patriótico”. Por isso, eu gostaria de expressar ostensivamente o meu amor pela pátria francesa.

Tags:
Muçulmanos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Bebê anjo
Reportagem local
“Tchau, papai”: as últimas palavras que Maurício ouvi...
2
Sangue de São Januário ou San Gennaro
Francisco Vêneto
Milagre do sangue de São Januário volta a ocorrer em Nápoles
3
Monsenhor Jonas Abib, fundador da Canção Nova
Reportagem local
Fundador da Canção Nova, monsenhor Jonas Abib é diagnosticado com...
4
ARGENTINA
Esteban Pittaro
Polícia interrompe missa de Primeira Comunhão ao ar livre
5
CANDLELIGHT PROCESSION AND ROSARY
Elizabeth Zuranski
A oração escondida no fim da Ave-Maria
6
ELDERLY,WOMAN,ALONE
Aleteia Brasil
O pe. Zezinho e a mãe que espera há 30 anos, sem sucesso, pelo pe...
7
Sangue de São Januário ou San Gennaro
J-P Mauro
Vídeo mostra a última liquefação do sangue de São Januário
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia