Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Ninguém pode ser feliz sozinho

Compartilhar

IN OVER MY HEAD

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

 I’M THIRSTY

“A sede exprime o desejo de algo, mas um desejo tal que, privados do seu objeto, morremos” (S. Teresa d’Ávila)

A sede nos lembra que, para viver, devemos receber algo de fora. Trata-se de uma necessidade que não podemos satisfazer internamente. A sede de que fala Jenn Johnson é a necessidade instintiva de preencher o infinito. Frente a esse impulso vital podemos ter duas atitudes. Uma é sofrer perante o vazio e a solidão, vivendo de forma desordenada, sendo derrotados por tudo que nos falta, tentando mudar uma realidade em que nos sentimos forasteiros. A outra é acreditar que a sede tem a força de nos conduzir ao eterno. De fato, quando a pessoa percebe que o desejo mais profundo do seu coração é conhecer a Deus, ali se abre um horizonte infinito de possibilidades de alcançar a felicidade.

É madrugada, a voz de Jenn Johnson entrelaça-se ao vento; o vazio existencial parece dissolver-se. Sua canção sugere que a melhor maneira de saciar a sede é tornar-se fonte para os outros, fonte de amor, porque a felicidade não existe por si só.

A música “In over my head” está no álbum “We will not be shaken”, de 2015.

Costanza D’ardia

cecilia Bethel-Music-We-Will-Not-Be-Shaken-cover-art
copyright bethel music