Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Ela ficou tetraplégica 5 meses após o casamento

Facebook
Compartilhar

Emocione-se com a história deste casal que nos mostra o que é amar "na saúde e na doença... até que a morte nos separe"

Amar alguém “até que a morte nos separe” significa não ter exceções guardadas na manga; significa colocar o cônjuge – o amor – em primeiro lugar; significa doar-se excepcionalmente quando há uma situação excepcional. E se tal situação se torna diária, entregar-se assim a cada dia.

Quem sabe muito bem disso é este homem, que cuidou da sua amada a vida inteira, depois de ela ter ficado tetraplégica, poucos meses após o casamento.

Tradução do vídeo

Eles se casaram apaixonados. Cinco meses depois, ela ficou tetraplégica. E ele disse: “Eu nunca te abandonarei”. Já se passaram 56 anos, e ele continua cuidando dela: prepara suas refeições, lhe dá de comer… Alguns ficaram sabendo da sua história e decidiram ajudá-los. Quem ama é capaz de suportar tudo.