Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 01 Março |
São Félix III (II)
home iconReligião
line break icon

Fluxo descontrolado de imigrantes: o grito de alerta de uma muçulmana convertida ao catolicismo

Aleteia Brasil - publicado em 03/12/15

O desafio de responder à crise dos refugiados com caridade, mas também com prudência e responsabilidade diante da ameaça dos radicais

A paquistano-austríaca Sabatina James é uma ativista dos direitos humanos que se converteu ao catolicismo depois de escapar por pouco de um casamento forçado com um primo no Paquistão – um primo que, várias vezes, abusou dela sexualmente. Ameaçada de morte pela própria família por causa da sua conversão, Sabatina James vive desde 2004 sob a proteção 24 horas por dia. Em 2006, ela fundou a organização caritativa “Sabatina”, que ajuda as muçulmanas forçadas a se casar facilitando-lhes a fuga e prestando-lhes apoio jurídico e ajuda psicológica.

Esta ex-muçulmana critica enfaticamente a gestão alemã da crise dos refugiados e imigrantes, apontando as ameaças reais de uma imigração muçulmana descontrolada e originada em países não democráticos. Sabatina expressa as suas preocupações abertamente em entrevista ao Neuen Osnabrücker Zeitung:

“Temos que nos colocar duas questões: Queremos continuar a salvaguardar os direitos humanos na Alemanha? Podemos deixar a Alemanha se tornar um país predominantemente muçulmano?”.

Dar um passaporte a todos os refugiados sem assegurar-se de que eles são “capazes de ser democráticos” ou sem saber se eles “estão ou não dispostos a usar a violência” é uma política irresponsável, declara ela sem papas na língua. Se entre os imigrantes houver islamistas violentos, ligados ou não ao grupo Estado Islâmico, a Alemanha não poderá recusar-se a assumir a sua responsabilidade.

Fluxo de migrantes equivale a uma nova cidade a cada mês

Sabatina prossegue: se ao longo dos próximos dez anos chegarem mais de 10 milhões de muçulmanos, eles poderão constituir a maioria dentro da sua faixa etária. E este é precisamente o ritmo atual de chegadas. Além disso, a taxa de natalidade alemã é dramaticamente baixa. Só até o dia 23 de novembro, entraram mais de 180.000 refugiados: equivale a uma nova cidade de médio porte a cada mês, fenômeno que pode transformar radicalmente a sociedade alemã.

Ela também se mostra surpresa com o fato de que mesmo os jovens violentos que atacam cristãos, yazidis e muçulmanos democráticos podem permanecer na Alemanha. Para Sabatina, é “impensável dar-lhes asilo. É um erro grave e uma ilusão da nossa bela alma assumir de antemão que todos os refugiados partilham os valores democráticos”. Eles nasceram em países, como a Síria, o Afeganistão ou o Paquistão que ela tanto conhece, nos quais perdura “a ideia de que as mulheres não têm os mesmos direitos nem a mesma dignidade dos homens, e que os não-muçulmanos não são seres humanos plenos”.

Ação preventiva contra pregadores radicais

Sabatina James também critica o fato de a Alemanha não impor qualquer limite aos pregadores mais radicais.

“Nós os deixamos tranquilos e depois nos dizemos surpresos ao ver que a juventude os segue”.

Ela sabe, ao mesmo tempo, que também existem muitas pessoas boas e em busca de Deus, que não podem ser impedidas de encontrá-Lo – aliás, este quadro também revela com ainda mais clareza a triste situação das igrejas na Alemanha:

“É mais comum nas ruas alemãs de hoje cruzar com um salafista que distribui o alcorão do que com um cristão capaz de explicar o Sermão da Montanha ou as palavras fortes de Cristo como ‘Amai os vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei o bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos caluniam e vos perseguem’”.

E é justamente para salvaguardar os direitos humanos, em especial os das mulheres, bem como os valores do próprio Sermão da Montanha, que a Alemanha não pode aceitar tudo: o caráter democrático do país corre perigo se a Alemanha não revisar a sua postura.

Tags:
MigrantesMuçulmanosPerseguiçãoPolíticaRefugiados
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
3
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
4
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
5
MEXICO
Pablo Cesio
México: homem chega à própria missa de corpo presente
6
missionárias mártires iêmen
Reportagem local
A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas p...
7
PRAY YOUNG
Arquidiocese de São Paulo
Rezar o terço sem contemplar os mistérios é válido?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia