Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Outubro |
Beato Domingos Collins
home iconEm foco
line break icon

Religião perseguida na China?

Miriam Diez Bosch - publicado em 13/01/16

A perseguição religiosa está vinculada a regimes autoritários

A China não mediu palavras. Considerou “infundado” um relatório que a descreveu como “país preocupante” quando se trata de liberdade religiosa. O Governo já protestou, argumentando que respeita a religião.

A Comissão Internacional de Liberdade Religiosa dos Estados Unidos afirmou em seu relatório anual que a China é “um país de preocupação especial”, uma classificação que incluiu também o Vietnã, Mianmar e a Coreia do Norte.

“O relatório está cheio de preconceitos políticos e acusações infundadas, algo a que a China opõe-se firmemente”. Assim se expressou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Hua Chunying.

A China já apareceu mal em outro texto, o Relatório sobre Liberdade Religiosa de 2014, elaborado anualmente pela organização Ajuda à Igreja que Sofre.

Lá se especificava que a perseguição religiosa está vinculada a regimes autoritários.

Quando surgem estas acusações, a China exige de quem as realiza que não “interfira nos assuntos internos sob o pretexto religioso”.

Hua assegura que o governo chinês respeita e protege a total liberdade religiosa de seus cidadãos.

Segundo a agência Asinews.it, “a Associação Patriótica e o Ministério de Assuntos Religiosos sequestraram da Igreja bens e dinheiro, que em cumprimento das leis chinesas devem ser devolvido aos seus legítimos proprietários”.

Segundo a Fundação Pew, em sua Projeção sobre o Futuro das Religiões, 52,2% dos chineses consideram-se “sem religião”.

Massimo Introvigne, coordenador do Observatório sobre a Liberdade Religiosa na Itália, criado pelo Ministério de Assuntos Exteriores, disse a Aleteia que é preciso ser cauteloso sobre o número de chineses que se consideram “sem religião”.

Ele é co-autor do livro Cinesi a Torino (Chineses em Turim), e viu que os entrevistados se declaram “sem religião” porque formalmente não estão afiliados a uma Igreja ou templo, porém, “as entrevistas revelaram que eles não são ateus, sendo que têm muitas crenças e práticas religiosas”.

Sobre a liberdade religiosa, as leis chinesas permitem a prática de todas as religiões que não expressam oposição ao Governo e que são “patrióticas”, ou seja, que não reconheçam os líderes designados por autoridades que não residem na China.

“Compreendo que para a embaixada chinesa esta é uma autêntica liberdade religiosa, mas não está de acordo com os critérios das convenções internacionais”, declarou.

Como disse o Papa Francisco, “não há liberdade religiosa se é para limitar a Igreja à sacristia e se se proíbe sua expressão, também de maneira crítica, sobre os grandes temas da política e da sociedade”. Quem o faz na China é castigado duramente, como demonstra a repressão do movimento Falun Gong.

“A ideia de que somente as associações patrióticas cujos líderes são nomeados pelo Partido Comunista podem regular com a aprovação da vida religiosa chinesa é uma grave violação da liberdade religiosa”, disse o sociólogo italiano.

Embora, acrescenta, “é certo que, pública e privadamente, hoje se intensificam os contatos entre a Igreja patriótica e a Igreja Católica fiel a Roma”.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
MundoPerseguiçãoReligião
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Brasileira Simone Barreto Silva é vítima de ataque terrorista na catedral de Nice
Reportagem local
Brasileira é vítima no ataque terrorista na c...
Reportagem local
França: atentado na basílica de Notre Dame em...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Pe. Robson de Oliveira
Francisco Vêneto
Defesa desmente Fantástico, da TV Globo, em n...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia