Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Mulher deu à luz nesta madrugada perto do Vaticano e foi abrigada em nome do papa Francisco

Serge Vincent-cc
Compartilhar

Em uma das noites mais frias do inverno de Roma, o grito de dor de uma mãe sem teto ecoou na Praça de São Pedro

O silêncio da noite no Vaticano se rompeu na madrugada desta quarta-feira, 20 de janeiro. Os pedidos de ajuda de uma mulher indigente chegaram aos ouvidos dos policiais que patrulhavam a Praça Pio XII, vizinha à Praça de São Pedro. Eram 2h30 da manhã.

Em poucos minutos, os agentes perceberam que o parto era iminente e, via rádio, pediram que outros colegas trouxessem cobertores e água em garrafas térmicas para prestar assistência emergencial até que chegasse a ambulância.

A mulher, de 36 anos, deu à luz uma menina ali mesmo, em uma rua adjacente à Praça de São Pedro. Os dois policiais a acompanharam até o hospital Santo Espírito, de Roma, onde mãe e filha passam bem.

Dom Konrad Krajewski, esmoleiro da Santa Sé, foi ao hospital nesta manhã para visitar a mulher, de nacionalidade romena. A mãe e filha, ele ofereceu moradia na residência das freiras da Madre Teresa em Primavalle, arredores de Roma. Ali, elas contarão no mínimo durante um ano com a ajuda necessária para reconstruir a vida.

A Esmolaria Apostólica, pela qual dom Konrad é responsável, é o departamento vaticano encarregado de gerir as obras de caridade realizadas em nome do Sumo Pontífice.