Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Os 6 segredos da felicidade, segundo um menino-prodígio brasileiro de 14 anos

Compartilhar

Ele começou a empreender aos 10 anos, fatura 100 mil reais por mês aos 14 e explica quais são as suas bases - começando pela família

Este não é um vídeo que aborde diretamente a espiritualidade, mas pode inspirar reflexões renovadoras relacionadas com o sentido da vida.

Davizinho Braga é um menino-prodígio brasileiro que começou a empreender aos 10 anos de idade e, hoje, aos 14, chega a faturar R$ 100.000 por mês com a sua startup em Maceió.

Nesta palestra que deu durante o evento TEDx Goiânia, ele compartilha o que considera os segredos da sua felicidade. Ainda que o enfoque seja voltado à realização material, ele demonstra não estar disposto a ganhar dinheiro a qualquer preço – quer crescer financeiramente, sim, mas empreendendo em áreas que o entusiasmam. Além disso, a série de valores que ele cita é crucial também para quem quer a felicidade plena, que vai muito além das conquistas materiais:

Família: “Sem uma boa base, talvez você não consiga chegar onde quer chegar”.

Vontade: “A inspiração vem dos outros, já a motivação vem de dentro de você”.

Raciocínio: “Nós, seres humanos, já nascemos com o melhor aplicativo do mundo instalado em nosso corpo, o nosso cérebro”. E cita um exemplo de uso prático do “aplicativo” ao questionar, provocativamente: “Estamos vivendo as maiores taxas de desemprego dos últimos cinco anos e você ainda está procurando um emprego fixo?”.

Coragem: “Eu recebi uma educação empreendedora. Sempre tive que lutar para comprar as minhas coisas. Tive uma educação baseada na meritocracia”.

Sonhos: “Quem sonha é teimoso demais para deixar o seu futuro nas mãos do destino”.

Objetividade: “Se você não sabe para onde ir, qualquer lugar em que chegar está bom”, afirma ele, citando a história de Alice no País das Maravilhas e interpretando três personagens dessa obra como exemplos de “ladrões de felicidade”.

Assista à palestra, que dura 7 minutos: