Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Domingo 25 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

A Ressurreição de Cristo através dos olhos de um produtor de Hollywood

Diane Montagna - publicado em 17/02/16

Entrevista com Pete Shilaimon, produtor de "Risen"

Aleteia conversou com Pete Shilaimon, produtor do filme “Risen”, grande produção cinematográfica que enfoca a Ressurreição de Cristo.

Diane Montagna: Parabéns pelo filme, e obrigado por falar com os leitores da Aleteia. Eu gostaria de começar nossa entrevista perguntando-lhe: Quem é Jesus para você?

Pete Shilaimon: Essa é uma resposta muito, muito fácil: Tudo.

Eu vim de um país diferente. Eu vim para a América partindo de um país diferente, por isso, tudo o que tínhamos era a fé. Tudo o que tínhamos era Deus e Jesus. Então, para mim, crescer com Jesus 24 horas por dia, sete dias por semana, foi uma segunda natureza. Assim, Ele é tudo: é a vida, é a respiração. Então, essa é uma pergunta fácil.

Diane Montagna: Por que o filme “Risen”? O que o torna diferente de outros épicos bíblicos que temos visto até agora?

Pete Shilaimon: Na minha opinião, quando eu li o roteiro, a diferença foi contá-la do ponto de vista de Clavius, que é o oficial romano que sai e olha para o Messias. Para mim, contar a partir dessa perspectiva foi muito interessante. Nunca foi visto a partir dessa perspectiva. Isso me tocou e eu sabia que tinha que trabalhar nesta imagem. Eu sabia que tinha que fazer parte deste filme de alguma forma. Então eu implorei e implorei: “Deixe-me estar no set. Deixe-me trabalhar neste filme”. E o chefe disse, basicamente, “vá em frente”. E eu fui ao set e produzi. E foi a experiência mais incrível que eu já tive como produtor.

Diane Montagna: O que o tornou diferente de outros filmes que você já trabalhou?

Pete Shilaimon: Eu cresci com essas histórias. Eu cresci com as histórias da Crucificação, da Ressurreição. Minha família… somos muito católicos. Então, crescendo com essas histórias, realmente trabalhar em uma era bastante espetacular.

Eu fui entrevistado antes, e eles me fizeram muitas perguntas, mas a única coisa sobre este filme é que eu sentia, às vezes, que eu era Clavius naquela pedra. Houve muitas vezes em minha vida, quando eu tinha muitas dúvidas, eu tinha perguntas, e eu queria saber as respostas. E ninguém realmente me deu essas respostas. A única vez que eu encontrei respostas foi quando falei com Jesus. Então, para mim, quando eu sentei lá e vi Cliff Curtis, que interpretou Yeshua, e Joseph Fiennes, que interpretou Clavius, naquela pedra, foi um dos momentos mais incríveis, estar naquele deserto e observando a interação, porque eu me sentia Clavius, e eu tive essa conversa com Jesus.

Pete Shilaimon, produtor executivo do filme “Risen”, é um dos muitos iraquianos que tiveram de abandonar sua terra natal a fim de viver a fé sem ter que esconder. Esta é sua história.

Diane Montagna: Conte-nos mais sobre sua família. Eles fugiram do Iraque quando era um menino?

Pete Shilaimon: Sim, eu tinha cinco anos de idade, e fugimos por duas grandes razões, sendo a primeira o governo de Saddam. Foi no momento em que o Iraque e o Irã entravam em guerra. E a segunda razão era a liberdade religiosa. Nós éramos caldeus, e ficou muito difícil viver nossa fé 100% sem esconder isso.

Acho que a história para mim foi: quando eu era muito jovem, minha mãe e eu estávamos comprando comida, e aos cinco anos de idade, quatro anos e meio de idade, você não se lembra das histórias. Mas o que eu lembrava e tinha visto realmente me balançou. Tínhamos crucifixos e quando fomos comprar alimentos ou algo assim, minha mãe saiu com o dela …

Diane Montagna: Seu colar …

Pete Shilaimon: Sim, em seguida, ela escondeu. Então, em uma idade muito jovem, eu pensei “escondê-lo”, o que é estranho para uma criança de cinco anos de idade. Mas, então, quando nós estávamos andando de volta para casa, as pessoas jogaram pedras nela. Ela estava constantemente escondendo sua fé. E o meu pai e minha mãe… nós não queríamos viver no medo e escondendo a nossa fé. Hoje eu uso a minha cruz orgulhoso, mas em vários países você não pode fazer isso. Então, nós estamos livres para praticar e ser quem somos.

Diane Montagna: Você testemunhou sua mãe sendo apedrejada com cinco anos de idade?

Pete Shilaimon: Sim, é uma lembrança que nunca vou esquecer… É uma memória que eu não acho que você nunca poderia esquecer, nunca sai da sua cabeça. Meus irmãos e irmã estão aqui também, e eles tiveram muitas dessas memórias. Mas sim, era apenas um momento difícil, foi um momento difícil. Para nós, vir para a América, encontramos a nossa liberdade, a nossa voz. Por isso é muito difícil ver o atual problema dos refugiados da Síria e do Iraque. Tenho dois tios que fugiram. Um está na Turquia, outro na Alemanha. Eles perderam tudo. Portanto, é muito difícil. É a história se repetindo, e aqui estamos novamente.

Leia também: “Risen”: Joseph Fiennes lança o filme religioso do ano

Tags:
CinemaJesus
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia