Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Julho |
Santos Abdon e Sénen
home iconAtualidade
line break icon

Monarquias do Golfo declaram Hezbollah libanês ‘terrorista’

Agências de Notícias - publicado em 02/03/16

As seis monarquias árabes sunitas declararam nesta terça-feira “terrorista” o Hezbollah libanês, um ator-chave no Líbano e apoio incondicional do presidente Bashar al-Assad na guerra na Síria.

Esta medida é tomada um dia após um violento discurso do chefe do Hezbollah, Hassan Nasrallah, que acusou a Arábia Saudita, integrante do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), de atuar para uma “sedição entre muçulmanos sunitas e xiitas”.

“Os Estados membros do CCG decidiram considerar a milícia (do Hezbollah) como uma organização terrorista, incluindo seus dirigentes, facções e associações”, anunciou Abdelatif Zayani, secretário-geral da organização regional, formada por Arábia Saudita, Bahrein, Catar, Emirados Árabes Unidos, Omã e Kuwait.

Zayani justificou esta decisão devido ao “prosseguimento das ações hostis das milícias (do Hezbollah), que recrutam os jovens (do Golfo) para cometer atos terroristas”.

Em um comunicado, acusou o Hezbollah de “tráfico de armas e de explosivos, de sedição e incitação ao caos e à violência, o que constitui uma violação flagrante da soberania e da segurança” das monarquias árabes.

Esta medida, a primeira deste tipo tomada coletivamente pelos países do CCG, chega em um contexto de forte tensão entre as monarquias sunitas e o Hezbollah, acusado de servir de enclave ao Irã xiita e de ingerência nos assuntos dos países árabes.

A tensão cristalizou em torno da guerra na Síria, onde Irã e Hezbollah apoiam o regime do presidente Bashar al-Assad, combatido por uma rebelião apoiada pelas monarquias do Golfo.

Medidas de represália

A Arábia Saudita foi durante muito tempo uma grande aliada e doadora de fundos ao Líbano, antes que o Hezbollah se impusesse no cenário político em 2005.

Seus opositores acusam o Hezbollah de dominar o país e de utilizar seu arsenal para controlar as decisões do governo.

“Os abusos da milícia do Hezbollah nos países do CCG e seus atos terroristas e de incitação na Síria, no Iêmen e no Iraque (…) constituem uma ameaça para a segurança nacional árabe”, disse Zayani em seu comunicado.

Anunciou ao mesmo tempo que serão tomadas medidas apropriadas contra o movimento, sem informar quais.

Até agora, as monarquias árabes reagiram individualmente contra o Hezbollah.

Já o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, acusa a Arábia Saudita de crimes no Iêmen, onde dirige há quase um ano uma coalizão árabe-sunita contra os rebeldes pró-iranianos.

Os ataques em janeiro contra a embaixada saudita em Teerã após a execução do líder xiita saudita Nimr al Nimr aceleraram as medidas de represália.

Relações com Irã

Antes de declará-lo grupo terrorista, o reino saudita pediu em fevereiro aos seus nacionais que deixassem o Líbano e desaconselhou as viagens a este país. Também suspendeu os programas de armamento de 4 bilhões de dólares para Beirute e sancionou as empresas relacionadas ao Hezbollah.

Por solidariedade, as outras monarquias do CCG, exceto Omã, também pediram que seus nacionais abandonassem o Líbano.

Estas ricas monarquias petrolíferas, onde vivem importantes comunidades libanesas de todas as confissões, inclusive xiita, implementaram a partir de junho de 2013 sanções contra membros do Hezbollah em represália pela intervenção armada da milícia na Síria.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
3
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia