Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 18 Outubro |
São Lucas
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Turquia e Grécia se reúnem para implementar novo plano para crise migratória

Agências de Notícias - publicado em 08/03/16

Os líderes da Turquia e da Grécia estavam reunidos nesta terça-feira em Izmir (oeste) para começar a implementar as novas propostas sugeridas por Ancara envolvendo a crise migratória, que poderiam “mudar o jogo”, mas já severamente criticadas.

Na costa do Mar Egeu, onde continuam a chegar todos os dias centenas de candidatos ao exílio na União Europeia (UE), a crise dos migrantes estará no centro das discussões bilaterais entre o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, e o seu colega grego, Alexis Tsipras.

Após tensas negociações em Bruxelas, os líderes europeus se separaram à noite sem um acordo final na mão, mas com novas e inesperadas propostas turcas, que eles prometeram considerar e finalizar nos próximos dez dias e antes da cúpula prevista para 17 e 18 de março na capital belga.

Nos termos mais espetaculares, Ancara se disse disposta a aceitar a readmissão em seu território de todos os migrantes ilegais na Grécia, incluindo sírios que fugiram da guerra em seu país, desde que os europeus comprometem-se a transferir um refugiado da Turquia ao território da UE a cada readmissão.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, espera ver um progresso claro. “O tempo das migrações irregulares na Europa acabou”, declarou.

Mas o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) está abertamente preocupado.

“Estou profundamente preocupado com qualquer arranjo que implique o retorno indiscriminado de pessoas de um país para outro, o que prejudicaria as garantias de proteção dos refugiados ao abrigo do direito internacional”, afirmou Filippo Grandi perante o Parlamento Europeu em Estrasburgo.

‘Desumanizante’

Da mesma forma, a Anistia Internacional criticou os líderes europeus e turcos por “terem chegado tão baixo”

“A ideia de trocar refugiados por outros refugiados não só é desumanizante, como não oferece uma solução de longo prazo”, afirmou Iverna McGowan, chefe da ONG para a UE.

A Turquia também se comprometeu a acelerar a implementação de um acordo de “readmissão”, que prevê o retorno a partir de junho dos migrantes ‘econômicos’ para deportá-los para os seus países de origem.

Em um comunicado, Tsipras prometeu nesta terça-feira fazer avançar o assunto em Izmir. “Quero acreditar que um passo importante e histórico será dado em Izmir (…) para que a Turquia aceite receber de volta todos os migrantes que não têm direito à proteção internacional, com base em tratados internacionais”, ressaltou.

Entre outras condições, Ancara exigiu a duplicação de 3 a 6 bilhões de euros do montante prometido pelos europeus para acolher e integrar os 2,7 milhões de sírios já em seu território.

Com a perspectiva de adesão à UE, “queremos que cinco capítulos de negociações sejam abertos o mais rápido possível”, disse Davutoglu.

O chefe do governo islâmico-conservador turco também solicitou o levantamento “até junho” dos vistos impostos pelos países do espaço Schengen aos seus cidadãos.

“Este é um bom acordo que vai mudar a situação”, comemorou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerando que iria “quebrar o ‘modelo de negócios’ dos traficantes, salvar vidas e aliviar um pouco da pressão sobre a Grécia”, à beira de uma crise humanitária.

O objetivo é lançar uma mensagem para todos os potenciais viajantes: os migrantes econômicos serão devolvidos, e os requerentes de asilo serão aconselhados a apresentar a sua demanda na Turquia na esperança de uma transferência segura para a UE.

Mas “ainda há muitos pontos a serem esclarecidos”, admitiu um diplomata, citando dúvidas de alguns países sobre a legalidade do dispositivo e sua viabilidade.

Os turcos já haviam selado no final de novembro um “plano de ação” com a UE para parar os migrantes, reforçando a luta contra os contrabandistas. Mas de 15.000 a 20.000 imigrantes continuam a chegar a cada semana a partir da Turquia na costa grega.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
2
Reportagem local
O grande crucifixo submerso que só pode ser visto quando o lago c...
3
Milagre do Sol em Fátima
Reportagem local
13 de outubro: o dia em que o mundo presenciou o Milagre do Sol e...
4
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
5
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
6
PRIEST-EUCHARIST-ELEVATION-HOST
Philip Kosloski
O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice?
7
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia