Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 31 Julho |
Santo Inácio de Loyola
home iconPara Ela
line break icon

5 dicas para não “se esquecer” do cônjuge quando chega o bebê

LaFamilia.info - publicado em 20/04/16

Papai e mamãe não podem jamais esquecer que, antes ainda de serem pais, já eram um casal – e continuam sendo!

É verdade que há crise no casamento quando chega um filho?

Sempre há grandes mudanças, mas só algumas vezes há “crises” no sentido atual e turbulento desse termo (afinal, a palavra “crise”, em seu sentido original grego, significa “momento de julgar, de avaliar, de ter critério, de fazer uma crítica” – e esta postura de discernimento é necessária o tempo todo).

De qualquer modo, é importante prestar atenção a vários fatores para evitar o risco das turbulências.

O nascimento de um filho é um dos momentos mais sublimes que alguém pode chegar a viver! Naturalmente, um acontecimento tão transcendente envolve mudanças na relação do casal. O matrimônio vive um antes e um depois do nascimento dos filhos, porque a paternidade e a maternidade desafiam a vida de qualquer pessoa em todos os âmbitos – inclusive, é claro, no âmbito conjugal.

Em entrevista ao jornal espanhol ABC, a psicóloga clínica Olga Carmona comenta:

“Um casal é um sistema que tem seu equilíbrio próprio, um sistema que cobre as suas necessidades afetivas, diferentes para cada casal. Quando chega um filho, o binômio salta pelos ares e se transforma em um triângulo, com o casal agora a serviço das necessidades de um terceiro que exige muita energia em termos de afetividade e de presença. O casal transfere o olhar para alguém que não é mais o cônjuge, ou, pelo menos, que não é mais o cônjuge na mesma proporção de antes (…) Nós somos tremendamente resistentes às mudanças. Sentimos segurança na inércia, naquilo que já conhecemos, e a chegada de um filho é, provavelmente, uma das maiores mudanças vitais que um ser humano pode experimentar”.

Diferenças entre mãe e pai

Homens e mulheres não vivem a paternidade e a maternidade da mesma forma. A psicóloga explica:

“No caso das mulheres, a mudança vai desde o físico e bioquímico até o mundo emocional, que é ‘assaltado’ pela forma de amar mais intensa possível. Nós, mulheres, nos colocamos de corpo e alma a serviço das necessidades de todo tipo de um ser que percebemos que é, porque é mesmo, absolutamente vulnerável. Esse terremoto vital, somado ao cansaço físico e, em muitos casos, à sensação de transbordamento psíquico, nos desconecta temporariamente do mundo. Acontece que, no mundo ‘exterior’, também está o nosso marido”.

“Para os homens também é uma mudança brusca e, muitas vezes, desconcertante. Eles também podem chegar a se sentir esgotados, às vezes deslocados por essa fusão que acontece entre mãe e filho. Eles também têm que aprender um papel que até agora era desconhecido”.

Como evitar, então, a rotina e o “esquecimento” do cônjuge?

Olga Carmona recomenda: “É importante que o casal se reconecte, não se desconecte”.

Reconectar-se é voltar a dirigir o olhar para o cônjuge, buscar momentos e espaços que favoreçam aquele afeto que deu origem aos filhos; espaços e momentos para afastar-se da rotina exigente, abrir parênteses em que o casal volta a ser protagonista, fortalecer o vínculo.

“É tão fácil quanto frequente que as demandas imprescindíveis dos filhos nos arrastem ao quase esquecimento de que também somos homens e mulheres, não exclusivamente pais e mães, e de que ser pais e mães e ao mesmo tempo homens e mulheres não só não é incompatível, mas fundamental. Nossos filhos precisam de uma referência de solidez que é preciso esforçar-se para garantir. E isto demanda um planejamento que, antes da chegada dos filhos, era bem mais simples, mas que continua sendo imprescindível”.

5 dicas para os novos papais e mamães

O nascimento de um filho tem o poder extraordinário de unir o casal, além de torná-lo mais maduro e sólido: mas não se trata de um “efeito automático” – ele exige esforço e compromisso de ambos os cônjuges, que devem levar em conta o seguinte:

  1. As mulheres precisam dos maridos mais do que nunca, e não para repreendê-las, mas para apoiá-las. Elas não estão fazendo o papel de vítimas, e sim passando uma montanha-russa emocional que demanda paciência e todo o seu amor.
  1. Procurem ser a fortaleza um do outro nas horas difíceis, como naquela noite mal dormida, na eventual doença do bebê, nos problemas do trabalho… Esta nova etapa do matrimônio precisa vir acompanhada de altos níveis de compreensão, sacrifício e muito, muito amor verdadeiro – que não é feito só de palavras, embora também exija, como sempre, palavras de carinho.
  1. Conversem! Digam um para o outro o que sentem, especialmente os homens, que costumam ser menos expressivos. Não há nada de errado em dizer à esposa que sente a sua falta, que tem saudades dos momentos a dois. Com carinho, tudo é bem recebido.
  1. Não abandonem a sua aparência física. O cansaço e a falta de tempo podem fazer com que os cuidados pessoais fiquem em segundo plano; porém, cuidar-se é um quesito básico na relação de casal.
  1. Pequenos “encontros” são uma prioridade. Se vocês querem dar ao seu filho o maior dos presentes, dediquem-se tempo de casal! Deixar o bebê aos cuidados de familiares ou pessoas próximas e de grande confiança durante uma hora ou duas a cada certos dias não transformará a mamãe em “monstra irresponsável”: muito pelo contrário, poderá ajudá-la a ser sempre, além de ótima mamãe, também uma ótima esposa. É claro que o mesmo vale para o papai.

Um filho é o fruto sublime de um vínculo único entre pai e mãe. Pai e mãe, portanto, não podem jamais esquecer que, antes ainda de serem pais, já eram um casal. E continuam sendo!

______________

Artigo publicado originalmente por Lafamília.info

Tags:
CasamentoFilhosMaternidadePaternidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
SIMONE BILES
Cerith Gardiner
Simone Biles deixa as Olimpíadas com uma lição importante para to...
2
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira rezou todos os dias às 3h...
3
Batizado de Davi Henrique, 6 anos
Reportagem local
Davi, de 6 anos, reclama do padre no batizado: “Tá sabendo ...
4
HIDILYN DIAZ
Cerith Gardiner
Olimpíadas: depois de ganhar o ouro, atleta exibe outra medalha e...
5
David Arias
Reportagem local
Ex-satanista mexicano retorna à Igreja e testemunha: “O ter...
6
Claudio de Castro
Como salvar nossas almas nos últimos minutos antes da morte
7
Pessoa idosa rezando o terço
Reportagem local
Brasil: carta de despedida de bisavó de 96 anos comove as redes s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia