Aleteia

Testemunho: ela encontrou o céu

Compartilhar

Raphaella já havia conhecido o Amor, mas agora pode olhá-lo nos olhos e testemunhar que verdadeiramente o encontrou

Raphaella Vieira já havia conhecido o Amor, mas agora pode olhá-lo nos olhos e testemunhar que verdadeiramente o encontrou. A estudante tinha 18 anos e participava da Obra Shalom no Projeto Juventude para Jesus, em Fortaleza. Ela, a mãe e uma vizinha faleceram na noite do sábado 7 de maio, vítimas de acidente automobilístico em uma perseguição policial, durante a qual o carro em que estavam acabou sendo envolvido.

O testemunho de Raphaella surpreende pela maturidade, presença de Deus e firmeza de quem, de fato, fez a escolha certa: a santidade. Foi esse o caminho que a fez feliz. O texto foi publicado na fanpage do Projeto Juventude do Centro de Evangelização Shalom da Paz, com um convite ao Seminário de vida no Espírito Santo (http://tinyurl.com/euencontrei), sobre o qual a jovem fala, narrando a experiência que mudou a sua vida. Confira:

“Eu não queria crer que a grande maioria aqui vai rolar o feed depois do primeiro ‘Deus’ que eu disser. Seria só mais uma história, se não tivesse tocado a minha alma. Mas você se pergunta: quem é esse Deus? Esse Deus ama você com um amor sobrenatural.

Você não pode ganhá-lo sendo simpático. Você não pode perdê-lo sendo um perdedor. Mas você pode ser cego o suficiente para resistir a esse amor. Eu fui tão cega. Eu tive todas as oportunidades, os maiores exemplos dentro da minha família, mas eu sempre quis me esconder, não procurar ou fingir não escutar essa verdade.

Eu era hipócrita ao dizer que conhecia a Deus e que era feliz. Pura insanidade. E pior, eu gritava isso para os quatro ventos, para todas as redes sociais, como muitos o fazem, porque realmente acreditava que era feliz. Mas só Ele sabe o quanto eu me escondia naquele sorriso. […] Uma coisa é certa: o caminho de Deus não é o mais fácil, mas é o mais feliz. O propósito dEle é demasiado ao nosso entendimento.

Cheguei no meu Seminário com carinha de ‘já podemos voltar pra casa?’ até me deparar com o primeiro servo, com aquele sorriso. Não um sorriso comum, não um sorriso que esconde. Um sorriso que demonstra e transborda amor. Eu me questionava, ‘de onde emana esse amor?’.

No segundo dia as minhas irmãs de barraca fizeram uma espécie de partilha e perguntaram como Deus havia se revelado naquele dia. Uma espécie de nó na garganta por não conseguir responder, porque pensava que Deus estava realmente distante de mim. E na segunda adoração eu realmente tive uma experiência de abertura de coração, pude ver que Deus nunca se afastou de mim, nunca deixou de cuidar de mim, pude ouvir dEle, não dos meus amigos, da minha família, não. Eu pude escutá-lo de verdade.

Um Deus belo. Um Deus cuja beleza aumenta à medida que nos aproximamos dEle. E mesmo diante da minha pequenez, de uma alma ferida pelos pecados, Ele revelou o Senhorio na minha vida. E essa é a felicidade verdadeira, a que eu procurei em tantos lugares, tantas pessoas, tantas emoções, mas que eu só encontro nEle. E a partir dessa experiência eu pude ter um novo olhar, um novo sorriso, uma nova maneira, uma nova esperança, uma nova EU.

Eu chorei como um recém-nascido. Aliás, eu realmente nasci de novo. Foi como um primeiro choro, de liberdade, de felicidade, de uma imensidão de sentimentos bons. Deus torna saudável o que estava enfermo, torna certo o que estava errado, direito o que estava torto… Real sentido do inexplicável na minha vida. Real sentido da felicidade. Eu vi que não precisava da aceitação de ninguém além da dEle, que nos aceita do jeito que somos, com as marcas e pecados que carregamos.

Hoje posso dizer que sou verdadeiramente feliz! E sigo com sorrisos aos céus, risadas aos ventos, pensamentos bons e mesmo sem saber como, nunca deixo de agradecer. Deus não quer que você apenas acredite na Sua existência. Deus deseja que você ande com Ele! Não importa a distância, Deus vai te alcançar. ‪#‎EuEncontrei o amor. O amor que transborda e me impede de guardá-lo pra mim, que me faz aspirar cada vez mais que cada um tenha a mesma experiência que eu.”

Raphaella Vieira

 

 

(via Shalom)

Boletim
Receba Aleteia todo dia