Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O túmulo de Aristóteles, descoberto na Macedônia

Compartilhar

O filósofo, que morreu em 322 a.C., em Cálcis, na ilha de Eubeia, supostamente teria sido enterrado na mesma localidade

“Se você tem que perguntar quem é O Filósofo” – diz o ditado – “você não é Tomista”. Pois bem, para aqueles que não têm formação em filosofia escolástica, “O Filósofo” é Aristóteles, o laureado discípulo de Platão, nascido em Estagira, na região central da Macedônia, no ano de 384 antes de Cristo.

A morte de Aristóteles, disseram fontes da época, ocorreu em Cálcis, na ilha de Eubeia, e desde então se supôs que o filósofo tenha sido enterrado lá. No entanto, duas outras fontes indicavam que, tempos depois, suas cinzas foram levadas para sua cidade natal, Estagira. Seguindo essas últimas informações, um grupo de pesquisadores passou mais de vinte anos fazendo buscas e escavações em Estagira, até que se deram conta de que estavam no verdadeiro local do túmulo do filósofo, como lemos em Greek Reporter.

Aristóteles

Trata-se de uma cúpula de aproximadamente dez metros de altura, com vista de 360 graus (o qual da a entender a importância da pessoa ali enterrada), com um piso de mármore datado do período helenístico. Um corredor que conduz à entrada da tumba foi destruído pelos bizantinos, que construíram uma torre sobre ele.

A descoberta foi anunciada formalmente no Congresso Mundial pelos 2.400 anos de Aristóteles, em Salônica, Grécia.

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.