Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O lado “rock and roll” da irmã Kelly Patricia

Compartilhar

Não Estou Só

Não estou só” é o nome da canção e a freira que toca essa guitarra com efeito de distorção é a Irmã Kelly Patrícia, a religiosa brasileira conhecida pelas composições musicais que unem poesia e os escritos dos grandes místicos católicos.

A música fala do papel do anjo da guarda, o qual, segundo a tradição judaico-cristã, é um encarregado de Deus cuja missão é proteger e conduzir todo ser humano, de modo que ele não se desvie da vontade de Deus.

“Aqui embaixo não estou só, pois no exílio dessa vida um anjo da guarda guia os meus passos”, diz a primeira estrofe da canção.

A letra poética e profunda, característica autoral de Irmã Kelly, que adotou um estilo mais “suave” ao longo de sua carreira, ganhou ainda mais força com a ousada proposta de transmitir a fé através do ritmo que faz a cabeça dos jovens: o rock.

Desde 2010, a religiosa fundadora do Instituto Hesed, da cidade de Fortaleza-CE, adotou o rock como genero musical dos seus últimos dois álbuns: ‘Busca de Deus’ (2010) e ‘Filhos da luz’ (2013). O objetivo, segundo ela, é atrair a juventude que esta afastada de Deus.

Mirticeli Dias