Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O “Decálogo do Motorista”: chega de mortes nas estradas!

© Tony
Compartilhar

A pastoral da Igreja que ajuda a evitar os acidentes e as mortes que eles causam

A violência no trânsito está entre as principais causas de morte em todos os países do planeta. Ao longo dos anos, a Igreja tem realizado inúmeras campanhas focadas em contribuir com soluções baseadas na conscientização e na mudança de atitude por parte dos motoristas.

As iniciativas abrangem desde as pressões públicas para que os governos invistam o necessário em infraestrutura rodoviária até os encontros de jovens voltados a promover a cultura da diversão sadia sem bebidas alcoólicas, mas nenhuma iniciativa pode prescindir da mais importante de todas: a formação do caráter dos cidadãos. Por mais que as condições precárias de tantas estradas e as carências de políticas públicas tenham impacto nas estatísticas da morte, o fato inegável é que, por trás de todos os acidentes, sempre existem lacunas de formação do caráter.

E a solução para isto passa pela prática nas coisas comuns do cotidiano.

Dom José Sánchez, da Conferência Episcopal Espanhola, observa que, “na estrada, nem motoristas nem pedestres podem perder a educação e ser juízes sem misericórdia daqueles que fazem – ou deixam de fazer – certas manobras ou que adotam atitudes inadequadas. Todos já fomos testemunhas, ou protagonistas, de insultos e discussões entre motoristas por motivos que, com um pouco de paciência, compreensão e educação, teriam sido resolvidos”.

Dom Josep Angel Saiz Meneses, bispo da também espanhola diocese de Tarrasa, reforça a importância da cortesia e do cuidado ao volante: “Ser correto implica dirigir com atenção e boas maneiras. Isto é de grande importância para a segurança rodoviária e é dever de todos. Tratemos os outros como gostaríamos de ser tratados”.

Focado em ajudar a mudar a postura pessoal dos motoristas, oferecemos a seguir o “Decálogo do Motorista”, proposto em 2007 pelo Conselho Pontifício para os Migrantes e Itinerantes através das suas “Diretrizes para a Pastoral da Estrada”:

DECÁLOGO DO MOTORISTA

I. Não matarás.

II. A estrada será para ti um meio de comunhão entre as pessoas e não de dano mortal.

III. A cortesia, a responsabilidade e a prudência te ajudarão a superar os imprevistos.

IV. Serás caridoso e ajudarás o teu próximo em necessidade, especialmente se ele for vítima de acidente.

V. O automóvel não será para ti uma expressão de poder, dominação e ocasião de pecado.

VI. Convencerás com caridade os jovens, e também os menos jovens, a não dirigirem quando não estiverem em condições.

VII. Apoiarás as famílias das vítimas de acidentes.

VIII. Procurarás reunir a vítima e o motorista agressor em momento oportuno para viverem a experiência libertadora do perdão.

IX. Na estrada, protegerás a parte mais fraca.

X. Sempre te saberás responsável também pelos outros.

Boletim
Receba Aleteia todo dia