Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 24 Julho |
home iconAtualidade
line break icon

Colisão frontal de trens deixa ao menos 22 mortos no sul da Itália

<p>Equipes de emergência isolam a área da colisão entre dois trens na cidade de Rafz, norte da Suíça</p>

Agências de Notícias - publicado em 12/07/16

A colisão frontal de dois trens no sul da Itália provocou a morte de ao menos 22 pessoas e deixou dezenas de feridos, em uma das tragédias mais graves já registradas na região de Puglia.

“Por hora, as vítimas somam 22 mortos e 35 feridos, entre eles 3 ou 4 em estado muito grave”, indicou à SkyTG24 Giancarlo Conticchio, comandante da polícia ferroviária dessa região do sul da Itália.

O primeiro balanço era de 12 mortos. O número de vítimas fatais pode crescer, já que os socorristas seguem trabalhando para retirar os feridos presos entre os ferros retorcidos.

O ministro dos Transportes, Graziano Delrio, que chegou ao local do acidente, não quis fornecer um balanço da tragédia.

“Foi um acidente de proporções enormes. Uma colisão muito violenta”, afirmou.

Cerca de 200 socorristas, entre bombeiros, policiais e agentes da defesa civil trabalham há horas sob um calor de 40 graus para retirar os feridos presos entre as ferragens.

O acidente ocorreu às 11h30 locais (06h30 de Brasília) entre Andria e Corato, em uma zona rural, entre um campo de oliveiras, localizado ao norte de Bari.

Dezenas de ambulâncias, policiais e bombeiros estão no local do acidente, segundo as imagens divulgadas pela televisão.

As causas do acidente não foram divulgadas, em uma região onde muitas pessoas se deslocam de trem, e não se exclui um erro humano.

O primeiro-ministro, Matteo Renzi, prometeu investigar as razões da tragédia e viajará ainda nesta terça-feira à região.

“Não vamos parar até que tudo tenha sido esclarecido. Agora é o momento de lágrimas e de recuperar em primeiro lugar as vítimas e os feridos”, acrescentou.

A colisão foi frontal entre os dois trens formados cada um por quatro vagões, que transitavam em direção oposta pela mesma linha.

Uma cena apocalípticaA jornalista italiana Lucia Oliveri, uma das primeiras pessoas a chegar ao local do acidente, contou ao canal de notícias RaiNews24 que viu “uma cena apocalíptica, me deu vontade de vomitar”, confessou.

“São trens onde todos viajam, todos os dias. Jamais havia ocorrido algo tão impressionante”, disse.

A repórter disse que nesta linha, administrada pela Ferrotramviaria, uma companhia privada, costumam viajar muitos estudantes da Universidade de Bari, que vivem em localidades próximas e que nestes dias realizam provas semestrais.

Três helicópteros ajudam o corpo de bombeiros e as equipes de emergência para tentar salvar os feridos.

Um menino foi retirado vivo dos escombros e transportado imediatamente de helicóptero ao hospital de Andria.

Muitas pessoas, em particular familiares das vítimas, chegaram ao local do acidente, de difícil acesso, já que se encontra em pleno campo, em meio a oliveiras.

As autoridades locais criaram uma unidade de crise para informar aos familiares.

O prefeito de Corato, Massimo Mazzilli, lamentou no Facebook o desastre e escreveu que é “como se um avião tivesse caído”.

As imagens aéreas divulgadas pelos bombeiros mostram claramente a colisão com os vagões da frente totalmente destruídos e destroços ao redor.

Apenas o último vagão de um dos trens e os dois últimos do outro trem ficaram intactos.

“É uma tragédia terrível”, comentou à SkyTg24 o comandante da polícia urbana de Andria, Riccardo Zingaro, que participa das operações de socorro.

Nos últimos anos a Itália não havia registrado acidentes tão graves. Em julho de 2013 um ônibus saiu da estrada perto de Nápoles provocando a morte de 38 pessoas que estavam a bordo.

O último acidente de trem ocorreu em 24 de novembro de 2012, quando um trem regional em Calabria (sul) se chocou contra um veículo que transportava trabalhadores romenos, matando seis pessoas.

Há dois anos, o descarrilamento de um trem de passageiros após um deslizamento de terra na região de Merano (norte) deixou nove mortos e 28 feridos.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
3
Aleteia Brasil
Sorrisão e joelhos: 2 pais brasileiros e seus bebês que emocionar...
4
Papa Francisco
Reportagem local
Papa: como não culpar Deus diante da morte de um ente querido
5
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
6
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
7
PADRE PIO
Philip Kosloski
A oração que Padre Pio fazia todos os dias ao Anjo da Guarda
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia