Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
Redação da Aleteia / ACI Digital
Como surgem as intenções de oração do Papa?
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

Turquia proíbe viagens a trabalho de professores universitários ao exterior

O presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante discurso na Cidade do México em 12 de fevereiro

Compartilhar

O Conselho de Ensino Superior (YÖK) turco proibiu os professores universitários de fazer viagens a trabalho ao exterior, informou nesta quarta-feira a agência de notícias pró-governamental Anatolia, cinco dias depois de um golpe de Estado frustrado.

O organismo público convocou os reitores a “examinar urgentemente a situação de toda a equipe docente e administrativa” vinculada ao clérigo Fethullah Gülen, acusado de orquestrar o golpe de Estado. Os reitores devem expor suas conclusões no dia 5 de agosto.

Além disso, o YÖK convocou as universidades que têm professores fora da Turquia a convocá-los de volta o quanto antes, segundo a Anatolia.

Após a tentativa de golpe, Ancara estendeu sua grande punição ao exército, à polícia, à estrutura judicial e à educação, com o objetivo de expulsar do sistema os partidários do clérigo, ex-aliado e atual inimigo do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Na terça-feira, o governo suspendeu 15.200 funcionários da educação estatal e pediu a renúncia de quase 1.600 decanos de universidades públicas e privadas por seus supostos vínculos com Gülen.

O clérigo vive na Pensilvânia (Estados Unidos), mas segue tendo grandes interesses e influência na Turquia, dos meios de comunicação às finanças, passando pelo setor educacional, o poder judicial ou a polícia.

(AFP)

Aleteia Top 10
  1. Lidos