Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Os arranha-céus da Idade Média

Compartilhar

Durante séculos, as catedrais góticas foram os edifícios mais altos na terra

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Clique aqui para abrir a galeria de fotos

Qualquer um que visitar hoje a Catedral de São Patrício, em Nova York, pode dizer que se trata de um edifício pequeno, se comparado ao Rockefeller Center, que está bem a sua frente. Mas isso nem sempre foi assim. Em 1311, os pináculos da catedral de Lincoln, na Inglaterra, chegaram a exceder a altura da Grande Pirâmide de Gizé.

Durante séculos, esses edifícios (como diria um jesuíta, construídos para “maior glória de Deus”) foram os mais altos sobre a face da terra, até a construção do Home Insurance Building, em Chicago, em 1884, considerado o primeiro arranha-céu.

Neste artigo, nós quisemos compartilhar quatro das mais impressionantes catedrais inglesas, apelidadas com justiça de “os pilares do mundo”. 

Catedral de Cantuária, Kent:

web-england-canterbury-cathedral-2-troy-david-johnston-cc

Uma das maiores e mais famosas das catedrais da Inglaterra, a Catedral de Cantuária é conhecida principalmente por seus vitrais dos séculos XII e XIII, por sua torre principal, por abrigar o túmulo de Eduardo de Woodstock (apelidado “o Príncipe Negro” por Shakespeare) e por ser o lugar onde Thomas Becket foi assassinado.

 

Catedral de Ely, Cambridgeshire:

web-england-ely-cathedral-andy-lapham-cc

Arquitetonicamente, a Catedral de Ely é excepcional, tanto pela sua monumental escala como pela abundância de detalhes estilísticos na construção.

Construída em um estilo românico monumental (e não em gótico, como a maioria das catedrais), o chamado “pórtico da Galiléia”, a capela e o próprio coro foram reconstruídos posteriormente atendendo aos ditames de um estilo gótico exuberante, vulgarmente conhecido como “gótico flamejante”.

Um dos elementos arquitetônicos que se destacam na construção é o octógono central do edifício, construído em 1322, considerado por especialistas como uma maravilha da arquitetura inglesa.

 

Catedral de Lincoln, Lincolnshire:

web-england-lincoln-cathedral-3-gary-ullah-cc

Sendo hoje a terceira maior catedral em toda a Grã-Bretanha, a Catedral de Lincoln foi conhecida por ser o edifício mais alto do mundo durante 238 anos, de 1311 a 1549, e só porque nesse ano a ogiva central caiu e não pode ser reconstruída.

Ainda assim, o escritor vitoriano John Ruskin a descreveu como “a peça mais valiosa da arquitetura nas Ilhas Britânicas”.

   

Catedral de Wells, Somerset:

web-england-wells-cathedral-2-gary-ullah-cc

Wells tem sido frequentemente descrita como “a mais poética” das catedrais inglesas. Comparada a outras catedrais britânicas, é relativamente pequena.

Construída sobre uma antiga igreja que, por sua vez, tinha sido construída sobre as ruínas de um antigo povoado romano, Wells tem uma série de molduras de excepcional qualidade escultural e manteve a maioria de seus vitrais originais dos séculos XII e XIII.