Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Então, Jennifer Aniston, como você vai usar sua beleza?

HOLLYWOOD - DECEMBER 15: Actress Jennifer Aniston arrives at the premiere of "Rumor Has It" at the Grauman?s Chinese Theater on December 15, 2005 in Hollywood, California. (Photo by Kevin Winter/Getty Images)
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

Jennifer Aniston tocou em algo muito mais profundo do que uma simples objetificação do corpo das mulheres em seu desabafo ao Huffington Post

Houve uma recente ascensão no movimento da beleza. Não a beleza inatingível que vemos em anúncios, mas a verdadeira beleza: cada pessoa é única e insubstituível, não importa nossa forma, tamanho, idade, tom de pele ou cor do cabelo, todas são lindas.

Bruno Mars canta: ‘Você é incrível, do jeito que você é’. Dove nos lembra de celebrar as diferenças únicas que nos fazem bonitos. E Colbie Caillat canta: ‘Você não precisa mudar nada. Você não precisa se esforçar tanto’. Agora, uma super-celebridade está emprestando sua voz sobre essa discussão.

A atriz Jennifer Aniston desabafa suas frustrações, escrevendo: “A objetificação e o escrutínio pelo qual fazemos as mulheres passar é absurda e inquietante… A forma como sou retratada pela mídia é simplesmente um reflexo de como nós vemos e retratamos as mulheres em geral, todas medidas por um padrão de beleza torto” (fonte: http://www.bbc.com/portuguese/geral-36782320).

Minha reação imediata: “SIM! VÁ, GAROTA! Diga-lhes como é!”. Muito do que ela escreveu está em meu coração, tanto que eu dediquei o primeiro capítulo do meu livro Decent Exposure para apoiar um movimento inteiramente distante do nosso distorcido senso de beleza. No entanto, o meu livro não atinge muitas pessoas. O movimento sobre a beleza precisa de alguém tão grande como Jennifer para falar.

Eu não sei muito sobre Jennifer Aniston, mas li que ela se esforça para manter sua vida pessoal privada e evitar os tabloides. Eu a admiro por buscar esse objetivo tão difícil de alcançar no mundo de hoje. Como sabemos, algumas celebridades posam para sites paparazzi e de fofocas e fazem qualquer coisa para atrair a atenção. Em seu Huff Po, ela diz: “Usamos as notícias de celebrities para perpetuar esse sistema que desumaniza a visão das mulheres, centrando-se unicamente na sua aparência, que os tabloides transformam em um evento esportivo de especulação”.

É verdade, mas não é completa. A desumanização das mulheres vai além dos tabloides. Olhe para os anúncios e capas de revistas que cobrem com Photoshop e divulgam as atrizes em versões irreconhecíveis de si mesmas. Ou mesmo os filtros “beleza” do Snapchat. Jennifer Aniston não pode participar livremente em notícias de tabloides, mas ela gosta de aparecer na capa de inúmeras revistas. Ela diz: “Todas as meninas absorvem isso… A mensagem de que elas não serão bonitas se não estiverem incrivelmente magras, de que não merecem nossa atenção se não forem uma supermodelo ou uma atriz na capa de uma revista”. Será que ela não percebe que ela é parte de tudo isso?

Uma rápida pesquisa no Google sobre a revista que postou a foto de Jennifer cobre uma enorme quantidade de supermodelos incrivelmente magras. Eu não tenho nada contra supermodelos ou mulheres incrivelmente magras. Suas fotos de capa claramente passaram pelo Photoshop. Se “fazendo-as” mais finas, eu não sei. Mas não há uma mancha em sua pele ou uma ruga em seu rosto. Eu só vi a Jennifer pessoalmente uma vez, e ela é realmente linda, mas ninguém parece retocado na vida real.

Capas de revistas como esta também contribuem para “a visão deformada de como calculamos o valor de uma mulher”, sobre a qual Jennifer repreende. Não são apenas os tabloides e celebridades midiáticas. Como alguém que nunca lê tabloides, eu ainda sou afetada por esta percepção distorcida de beleza que todos nós alimentamos. Esta percepção distorcida tornou-se “normal” para nós.

O “padrão regular” é a perfeição: sem linhas de gordura, manchas, cicatrizes ou estrias. Esta imagem do ideal de beleza nos rodeia se estamos lendo os tabloides ou uma revista, vendo televisão, as redes sociais ou simplesmente verificando e-mail. Se os modelos que estamos vendo constantemente são considerados “normais”, então o que somos? Não é que nós não nos sentimos bonitas – nós não nos sentimos normais. Como disse Cady Heron em Meninas Malvadas: “Eu costumava pensar que havia apenas gordo e magro. Aparentemente há um monte de coisas que podem estar erradas em seu corpo”.

Como eu disse, eu sou magra e eu como muito mais que muita gente que eu conheço. Mesmo aos nove meses de gravidez, eu pesava menos de 59kg. No entanto, eu tenho linhas de expressão no rosto, perdi dois manequins após amamentar e estou em forma “retangular”: a sociedade não pode considerar-me bonita ou mesmo normal.

As pessoas devem falar que Jennifer Aniston está grávida só porque ela comeu um hambúrguer no almoço? Claro que não. Eu também acredito que seu corpo da vida real (sem Photoshop) não corresponde ao que as pessoas veem nas capas das revistas. E algumas pessoas, infelizmente, sensacionalizam tudo o que podem.

Agora, quem sabe que tipo de controle Jennifer ou qualquer modelo tem quando se trata de uma foto final que acaba em uma revista. Quando lançamos uma linha para Rey Swimwear, pedi que as modelos que não se usasse Photoshop. Nós editamos fundos, ajustamos a iluminação etc., mas não o utilizamos para tornar a modelo mais magra, adicionar lacunas da coxa ou suavizar seus rostos. A maioria das empresas faz isso. Lembro-me de um anúncio que eu fiz onde nem sequer me reconheci, porque alisaram tanto meu rosto que parecia que eu tinha feito plástica. Vi a foto final na revista. Eu não fui consultada de antemão.

Eu gostaria de pensar que Jennifer tem mais controle sobre a foto final do que alguém como eu. E se esse for o caso, eu gostaria de desafiá-la a permitir a partir de agora as imagens não editadas de si mesma em capas de revistas e anúncios. Eu a incentivo a tomar medidas para si mesma e para todas as meninas em todos os lugares. Jennifer, você tem poder para fazer algo sobre isso – todos ouvem a sua voz e veem as suas ações, quer você goste ou não. Mostre para todas as meninas como devemos realmente calcular o valor de uma mulher. O valor de uma mulher não é baseado na soma de suas qualidades individuais e partes do corpo. São nossas diferenças que nos fazem únicas e belas. Nós somos bonitas porque fomos criadas dessa maneira. E, como eu pedi na minha TED Talk (The Evolution of the Swimsuit), pergunto para Jennifer agora, “Como você vai usar sua beleza?”.

Jessica Rey é atriz, esposa, mãe de 3 e CEO da Rey Swimwear. Foi uma “Power Ranger” no ‘Power Rangers Wild Force’, ela usa suas habilidades ninja para combater o bom combate. Entre suas coisas favoritas, ela gosta de karaokê e de fazer seus filhos rirem.

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições