Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

10 coisas que você não sabia sobre a Cracóvia, Polônia

© Jeffrey Bruno / ALETEIA
KRAKOW,POLAND 24 JULY:Pope Emogees from around Krakow
Compartilhar

Você provavelmente tem ouvido algo sobre a Jornada Mundial da Juventude, evento organizado pela Igreja Católica. Aqui estão alguns fatos surpreendentes sobre este rica e histórica cidade anfitriã

Por Lukasz Sobieszkoda*

“Cracóvia? Eu estive lá! Tem uma grande vibração… mas um pouco antiquada… e com tantas igrejas!”. É assim que uma canadense respondeu-me quando soube de onde eu vim.

Eu não sei o que me intrigou mais, a palavra “antiquada” ou as reflexões sobre o grande número de locais de culto.

Tivemos essa conversa longe da minha Cracóvia, que está situada no sul da Polônia. A mulher e eu éramos desconhecidos, mas nos sentamos juntos na mesma praça em frente à Basílica de São Francisco, em La Paz, conversando e olhando para o edifício majestoso, vendo as pessoas passarem. Ao olhar para a igreja, pensei então sobre um homem, que também levou o nome do santo de Assis em sua honra, Papa Francisco, e como ele e os milhões de peregrinos que foram à Jornada Mundial da Juventude se lembrarão de Cracóvia. Será que eles verão a cidade como antiquada?

Se entendermos como é uma cidade como aquela, em que o apego à tradição e história sempre foi de grande importância, talvez o ponto de vista seja diferente. E as igrejas? Há, de fato, mais de 130 que também fazem parte desta tradição. Eis um guia simples para ser um verdadeiro conhecedor de Cracóvia, seja pessoalmente ou via digital:

1. Castelo Real de Wawel

the Wawel castle and cathedral seen from an adjacent street
The Wawel Castle and Cathedral. Paweł Litwiński | Getty Images

Um forte no centro da cidade. Ele fica em uma colina a aproximadamente 750 pés acima do nível do mar e é um símbolo da condição de Estado da Polônia e uma lembrança de quando Cracóvia, não Varsóvia, foi a capital da Polônia. A propósito, também é uma enciclopédia incrível de estilos arquitetônicos.

2. Lady with Ermine

ITALY - CIRCA 2002:  Krakov, Muzeum Czartoryskich Portrait of Cecilia Gallerani or Lady with an Ermine, 1488-1490, by Leonardo da Vinci (1452-1519), oil on panel, 54.4 x 40.3 cm. (Photo by DeAgostini/Getty Images)
Agostini/Getty Images)

“Na Polônia existe apenas uma pintura”. Estas são as palavras proferidas pelo protagonista do filme Vinci, por Juliusz Machulski, um ladrão que tem a intenção de roubar obras-primas de Leonardo da Vinci. Na verdade, é a pintura mais valiosa da Polônia. Vale a pena dedicar alguns momentos para contemplar, especialmente porque muitos especialistas consideram a pintura melhor do que a mundialmente famosa Mona Lisa. Além disso, assim como a pintura mais famosa do mundo, essa senhora esconde muitos segredos. O animal na imagem é, na verdade, um arminho? Qual foi a imagem de fundo original, é uma bota militar dos tempos da Segunda Guerra Mundial que está impressa no verso da pintura?

3. Catedral de Wawel

Wawel Cathedral
Interior of the The Royal Archcathedral Basilica on the Wawel Hill. Paweł Litwiński | Getty Images

A Real Catedral Basílica dos Santos Estanislau e Venceslau, comumente chamada de Catedral de Wawel, fica ao lado do Castelo Real. É o local de coroação e sepultamento de reis poloneses, líderes políticos e suas famílias, bem como dos bispos de Cracóvia, incluindo São Estanislau, e artistas de grande importância nacional e internacional. Poucos visitantes conhecem, no entanto, os três grandes ossos que estão pendurados na entrada ocidental da Catedral. De acordo com a lenda, eles pertencem ao dragão Wawel. Historiadores dizem que estes são os ossos de um mamute, rinoceronte e baleia, que foram pendurados lá desde os tempos medievais. Você pode imaginar que, em certo ponto, todas estas criaturas devem ter parecido igualmente exóticas e assustadoras, por isso elas foram deixadas ali neste local, de modo que as forças do mal ficassem do lado de fora.

4. Dragão de Wawel

05.11.2003 Krakow. Smok Wawelski przed wejsciem do Smoczej Jamy.   Fot. Tomasz Zurek/REPORTER  miasto widok architektura rzezba Smocza Jama
Sculpture of the Wawel Dragon which breathes fire on command. Tomasz Żurek | Reporter

O lendário animal vivia na caverna sob a Colina de Wawel, soltava fogo e preferia uma dieta de virgens. Felizmente para os cracovianos, a criatura não olhava para baixo por causa de um cordeiro recheado com enxofre, que foi inteligentemente plantado na frente da caverna por um jovem. Depois de consumir o cordeiro envenenado, o dragão foi forçado a beber a metade do rio Vístula para apagar o fogo feroz em sua barriga, mas sem sucesso. Em vez disso, ele explodiu. Hoje, o único dragão sob o castelo Wawel é o feito de bronze por Bronisław Chromy, que solta fogo depois de uma mensagem de texto com a palavra smok [dragão] enviada para o número 7168.

5. Caverna do Dragão

Uma caverna no pé da Colina Wawel, em que, segundo a lenda, viveu o Dragão de Wawel. Hoje, uma escada em espiral leva às profundezas da colina e a quase 70 pés abaixo os turistas podem fazer uma caminhada ao longo de uma rota especial e sentirem-se como Indiana Jones no centro de Cracóvia. Você não vai encontrar um dragão, mas a piscina de pedras na gruta tem agradado uma pequena e muita rara família de crustáceos.

6. Praça Principal

The Church of Saint Adalbert in the middle of Rynek Glowny - the main square of Krakow. Krakow, Poland. 12th May 2015 (Photo by Grzegorz GalazkaArchivio Grzegorz GalazkaMondadori Portfolio via Getty Images)
The Church of Saint Adalbert in the middle of Rynek Glowny – the main square of Krakow. Grzegorz Gałązka | Mondadori | Getty Images

Este é um lugar onde os turistas vão passar, mais cedo ou mais tarde. Quando foi construído em meados do século 13, foi o maior mercado na Europa medieval. Hoje em dia continua sendo um dos maiores. Tamanho por si só não é o que o torna único, no entanto. A multiplicidade de locais ao redor e na praça – os museus, arquitetura, restaurantes e todas as atrações – resultou na inclusão na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO em 1978. O icônico Lonely Planet a nomeou a praça principal mais bonita do mundo em 2013. Começou como o lugar onde os comerciantes medievais trocavam seus bens. Um sinal desse legado ainda pode ser encontrado em Cloth Hall, o mais antigo mercado polonês, onde as pessoas já compravam dois séculos antes de Colombo chagar à América.

7. Toque do trompete na Igreja de Santa Maria

GettyImages-141840651
Every hour trumpeter playing anthem from St Mary’s Church tower. Henryk T. Kaiser | Getty Images

A melodia tocada pelo trompetista da torre da Igreja de Santa Maria dá à cidade um ritmo particular. De hora em hora, o trompete soará quatro vezes, para os quatro cantos do mundo. Cada vez, a melodia de repente soa, uma referência à lenda do primeiro trompetista/guarda que literalmente custodiava a cidade. Quando as tropas Tatar estavam se aproximando de Cracóvia, ele alertou a cidade sobre o inimigo que avançava apenas a tempo de fechar as portas da fortificação. No entanto, uma flecha perfurou a garganta do trompetista antes que ele pudesse tocar até o fim. Você pode imaginar o que é a vida diária do trompetista que precisa subir os 239 degraus até o topo da torre.

8. O Altar Viet Stoss

Poland, Krakow, St. Mary's Basilica, Interior, Altar
Viet Stoss’ altar in St. Mary’s Basilica. Wolfgang Kaehler | LightRocket | Getty Images

Não é só o maior altar gótico da Europa, mas uma obra-prima deste estilo, onde podemos admirar até 200 caracteres esculpidos pelo mestre de Nuremberg durante 12 anos de trabalho. Para fazer as figuras, ele provavelmente usou árvores que tinham pelo menos 500 anos de idade, por isso, hoje, a madeira deve ser milenar. Podemos encontrar a história do altar no livro The History of the Yellow Crakows e no filme com o mesmo nome. O altar estava na Igreja de Santa Maria, reconstruída após o terremoto que atingiu a Cracóvia em meados da década do século 15, mas desapareceu no século 20, depois que a Igreja foi saqueada pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Felizmente, a Polônia conseguiu recuperá-lo graças ao professor Charles Estreicher e The Monuments Men, uma unidade especial do Exército dos EUA, que procurou tesouros saqueados pelos nazistas.

9. Obwarzanek Krakowski (bagel da Cracóvia)

Poland, Krakow, Close up of pile of bagels with poppy and sesame seeds
Krakow’s obwarzanki, bagels with poppy and sesame seeds. Eye Ubiquitous | UIG via Getty Images

O obwarzanek é na Cracóvia como a bagel é em Nova Iorque. Ambos podem ser descritos como uma massa redonda com um buraco no centro, mas o obwarzanek é um desses produtos tradicionais assados que qualquer excursão culinária pela Cracóvia seria incompleta sem ele. Está presente nas mesas da Cracóvia desde o século 13. Hoje, obwarzanek é vendido em carrinhos encontrados em várias partes da cidade.

10. O Rio Vístula

Wisla River and the Wawel Royal Castle at night, Krakow, Poland, Europe
The Vistula River at night. Elan Fleisher | Look

É chamado de a rainha dos rios da Polônia, e Cracóvia é associada a ele de uma forma especial. Hoje, enquanto flui rapidamente pela cidade e suas pontes, seu curso parece óbvio. Mas no início da história da Cracóvia, o rio tinha dezenas de ramos que formavam ilhas. Por razões de segurança, foi nessas ilhas que os primeiros colonos começaram a construir suas casas. Mesmo no século 19, o rio corria através do centro de Cracóvia, separando a cidade velha de Kazimierz. Este canal foi preenchido e o rio foi moldado sobre o caminho que nós vemos fluir hoje.

Lukasz Sobieszkoda é jornalista de TV na Polônia.

Texto Original: http://forher.aleteia.org/articles/20-things-about-krakow-poland-travel-tips/